Área Útil

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





02/2012

Aids e seu tratamento

Sobre o HIV e a aids

O HIV, sigla em inglês para Vírus da Imunodeficiência Humana, é o causador da aids – outra sigla em inglês para Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. O termo imunodeficiência significa uma desordem do sistema imunológico, responsável pela defesa do organismo.

Ao entrar na corrente sanguínea de uma pessoa, o HIV ataca as células de defesa do organismo, tornando-o mais vulnerável ao desenvolvimento de doenças. O vírus se aloja no interior das células de defesa e se multiplica junto com a divisão celular. Neste processo, as novas células já nascem infectadas, aumentando a carga viral do paciente. A aids acontece quando uma pessoa com HIV adoece em função da imunodeficiência.

Como evitar o HIV?

O HIV é transmitido de uma pessoa a outra através do sexo desprotegido e do compartilhamento de agulhas. A mãe pode passar o HIV para o filho durante a gestação, o parto ou o aleitamento.

Para evitar a transmissão do HIV, use o preservativo nas relações sexuais e não compartilhe seringas. A gestante portadora do HIV deve ter acompanhamento médico específico para não transmitir o vírus para o bebê.

Como descobrir se tenho HIV?

A única forma de saber se uma pessoa tem ou não HIV é realizar o teste diagnóstico, feito a partir de uma amostra de sangue. Ninguém pode obrigá-lo a fazer o exame – nem médico, parentes, amigos ou empregadores. Somente você pode tomar esta decisão. Fique sabendo!

Nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA) do Ministério da Saúde, o teste diagnóstico é gratuito e anônimo. O exame também pode ser feito em outras unidades de saúde e por laboratórios particulares, sempre respeitando as normas definidas pelo Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

 Como é feito o tratamento?

O controle da infecção pelo HIV é realizado com medicamentos chamados antirretrovirais, que impedem a multiplicação do vírus no organismo atuando em várias etapas de seu ciclo reprodutivo. O tratamento não elimina o HIV, mas é fundamental para que o paciente viva mais e melhor.

O tratamento antirretroviral é bastante complexo, podendo ocasionar efeitos colaterais, e deve ser assistido por uma equipe multidisciplinar de profissionais de saúde, que oferece atendimento integral ao paciente: médicos, enfermeiros, farmacêuticos, nutricionistas, psicólogos, assistentes sociais, entre outros. Além disso, os exames que acompanham o estado de saúde do paciente devem ser feitos periodicamente.

No Brasil, desde 1996, o acesso gratuito de todas as pessoas vivendo com HIV aos antirretrovirais é garantido por lei. Os medicamentos são distribuídos em diversas unidades de saúde, sempre sob acompanhamento profissional.

Mais informações: www.aids.gov.br

Compartilhe