Notícias

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





08/2012

Congressos e Fóruns em São Paulo debatem DTS, Aids e Hepatites Virais

Entre os dias 28 e 31 de agosto de 2012, a cidade de São Paulo recebe centenas de pessoas dispostas a discutir os rumos das DST, Aids e Hepatites Virais. Organizações não governamentais e organizações governamentais; instituições de ação local, nacional e continental; conhecimento prático e conhecimento técnico-científico; pesquisadores e militantes da sociedade civil; serviços, programas, redes, lugares e contextos culturais e políticos diversos. Diferentes cenários e atores sociais encaram o desafio de estabelecer um debate propositivo sobre as estratégias e ações a serem ampliadas, aperfeiçoadas ou abandonadas para que o acesso universal e equitativo à prevenção se efetive nos diferentes territórios do Brasil e da América Latina.

IX Congresso Brasileiro de Prevenção das DST e Aids, II Congresso Brasileiro de Prevenção das Hepatites Virais, VI Fórum Latino-americano e do Caribe em HIV/Aids e DST e V Fórum Comunitário Latino-americano e do Caribe em HIV/Aids.

Os dois congressos e dois fóruns partem do tema central “Sistema de saúde, redes comunitárias e o desafio de fazer prevenção” para se desdobrarem em três eixos temáticos que receberão enfoque prioritário em cada dia dos eventos.

Eixos temáticos
No primeiro dia do evento, as atividades buscam enfocar a temática da reforma dos sistemas de saúde no Brasil e na América Latina e Caribe, trazendo à tona, em particular, uma reflexão crítica da atualidade e as implicações para a prevenção e o cuidado em saúde. Estão presentes tópicos como: a promoção do acesso e a qualificação das ações de saúde como prioridades atuais; os mecanismos de compromisso de gestão; as novas modalidades de organização dos serviços na atenção básica; os modos de financiamento.

Já o eixo temático do segundo dia intitula-se “Rede de atenção: serviço, comunidade e o lugar da prevenção”. O debate estrutura-se em indagações como: atuação articulada para a atenção integral; qual é o papel da atuação comunitária? Qual é o papel da rede de serviços de saúde?

Para o terceiro dia, está previsto o desafio permanente de se construir a prevenção. E nele estão contempladas questões como: as transformações culturais, sociais, políticas e econômicas e seus impactos sobre a epidemia; a necessidade de revisão/renovação das respostas nacionais frente a essas transformações; o desafio de assegurar a todos o acesso e a qualidade necessários para a garantia de uma vida mais saudável; o compromisso político de buscar uma sociedade mais justa e favorável à prevenção; a politização do debate do campo de prática da prevenção e dos direitos humanos.

Saiba mais em congressoprevencao/2012

Compartilhe