Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver Profissional de Saúde » Saber Viver Profissional de Saúde n.22

05/2011

A importância da vitamina D na saúde das pessoas com HIV/aids

Anthony Mills*

 A importância da Vitamina D tem sido cada vez mais estudada nos últimos anos. E observou-se que pessoas com HIV/aids têm maior grau de deficiência. As vitaminas são componentes essenciais dos alimentos, que o organismo necessita em pequenas concentrações, mas que não pode produzir por conta própria. Devem, portanto ser ingeridas por meio de alimentos, principalmente, ou suplementos, em alguns casos. A vitamina D é uma exceção, porque, ao contrário de outras vitaminas, o organismo pode produzi-la.

A vitamina D é produzida a partir de uma molécula na pele com estrutura parecida ao colesterol que é, então, transformada na forma ativa da vitamina D por exposição aos raios ultra violeta (UV) do sol. A deficiência de vitamina D foi identificada pela primeira vez em crianças com raquitismo, e sua falta em adultos pode causar osteomalacia, caracterizada pelo enfraquecimento dos músculos e ossos.

O reconhecimento da importância da vitamina D para o desenvolvimento dos ossos levou o FDA (agência reguladora dos Estados Unidos) a determinar, anos atrás, que laticínios fossem fortificados com 100 UI de vitamina D por 100 ml. Infelizmente, há uma redução gradativa do consumo de leite que, somada às advertências dos dermatologistas sobre os efeitos nocivos dos raios UV e da importância do uso do proteção solar, resultou numa epidemia de deficiência de vitamina D.

A importância da vitamina D na saúde óssea é particularmente relevante para os jovens, cujos ossos estão se desenvolvendo, e para os idosos, cujos ossos estão enfraquecendo. Mas seu papel vai além da saúde dos ossos. Foi comprovado que ela pode preservar a força muscular e proteger contra doenças fatais, como a diabetes, esclerose múltipla e até mesmo câncer, além de ser uma força poderosa na regulação do crescimento celular, metabolismo energético e imunidade.

O papel da vitamina D, em um sistema imunológico saudável ainda está para ser definido, mas sabemos que as células CD4 e CD8 têm receptores de vitamina D e a ativação desses receptores pode ter grande impacto na função imunológica. Além disso, a vitamina D tem um papel importante na prevenção da inflamação celular, considerada atualmente responsável por muitos dos principais problemas de saúde enfrentados pelas pessoas com HIV/aids, especialmente as doenças cardiovasculares, incluindo diabetes e hipertensão. A deficiência de vitamina D também pode causar a doença do intestino irritável e artrite reumatóide.

A disfunção cognitiva, uma grande preocupação com o envelhecimento da população, também tem sido associada a baixos níveis de vitamina D. Por todas estas razões, a vitamina D tem assumido um papel fundamental na manutenção de uma boa saúde e na redução de comobirdades em pacientes com sistema imunológico comprometido.

Então como vamos abordar a questão do baixo nível de vitamina D? Sabemos que apenas 30 minutos de exposição ao sol no verão podem gerar grandes quantidades de vitamina D e, por essa razão, os moradores dos trópicos costumam ter níveis mais altos. Viver distante da linha do equador tem um impacto negativo na manutenção de níveis adequados de vitamina D e ter o pigmento da pele mais escuro também pode afetar seriamente a capacidade de uma pessoa de fabricar vitamina D.

Os Estados Unidos recentemente reavaliaram suas recomendações sobre a suplementação de vitamina D e agora recomendam 800 UI de vitamina D/ dia por meio de alimentos, exposição ao sol e suplementos. Infelizmente, essa quantidade não é suficiente para elevar o nível de vitamina D aos padrões desejados. A maioria dos especialistas recomenda níveis maiores de suplementação, entre 1000-2000 UI / dia. A vitamina D é um suplemento seguro com pouca chance de toxicidade ou de superdosagem. A hipercalcemia é o maior risco, mas só é visto com níveis de vitamina D muito superiores ao que se obtém com a suplementação de rotina.

*Anthony Mills é Diretor Médico de clínica de saúde integral em Los Angeles, Estados Unidos 

Atenção: Para saber sobre o benefício da vitamina D para você, consulte um médico. Lembre-se cada caso é um caso!

Compartilhe