Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.33

09/2005

abacavir + lamivudina + efavirenz

Opção para início de terapia: fácil de tomar e com poucos efeitos colaterais

Ainda pouco utilizada no Brasil, a combinação apresentada neste número vem ganhando cada vez mais adeptos. Isso porque ela apresenta algumas vantagens em relação a outros esquemas utilizados em início de terapia: os medicamentos podem ser tomados apenas uma vez ao dia e causam poucos efeitos colaterais. Apesar dessas conveniências, há uma questão que deve ser acompanhada com muita atenção.
O abacavir pode provocar um paraefeito potencialmente bastante grave que ocorre geralmente no primeiro mês, principalmente entre o 7° e o 14° dia do tratamento.

Fácil acesso ao serviço de saúde é fundamental
Segundo o infectologista Estevão Portela, 5% das pessoas que tomam abacavir podem ter uma reação ao medicamento, cujos principais sintomas são febre e dores abdominais. “Antes de iniciar a terapia com o abacavir, o paciente deve estar ciente desses problemas e ter um fácil acesso ao serviço de saúde, caso sinta algo”, diz o médico. A indicação, nesses casos, é parar a medicação, pois esses sintomas podem evoluir para um quadro grave. Mas isso deve ser feito pelo médico e não decidido pelo paciente, explica Portela: “O maior risco é quando o paciente interrompe por conta própria e depois volta a tomar o remédio. Isso não deve ser feito em nenhuma hipótese”, alerta.
Uma boa comunicação entre o paciente e a equipe de saúde também é essencial por causa de um possível efeito relacionado ao efavirenz: a depressão. As pessoas que têm tendência a se sentir deprimidas devem conversar com o médico sobre isso e avaliar com ele a possibilidade de utilizar essa medicação. “É preciso diferenciar a tristeza reativa (causada por algum fato, como a morte de alguém querido ou uma separação) e a tristeza depressiva”, diz Portela. Segundo ele, as reações comumente causadas pelo efavirenz, como perturbações no sono, sonolência e mudanças de humor são superadas após algumas semanas.

Vantagens dessa combinação
Os três medicamentos que compõem o esquema deste número, em comparação a outros esquemas, estão pouco associados à toxicidade mitocondrial, que provoca a lipodistrofia, acidose lática e neuropatia periférica. Eles também não causam anemia, diarréia ou problemas no fígado. As alterações nas taxas de colesterol e triglicerídeos são baixas se comparadas com outros antiretrovirais.
Além dessas vantagens, o fato de poder ser tomado apenas uma vez ao dia facilita a adesão ao tratamento.
Um último alerta vai para as mulheres em idade fértil: o efavirenz é contra-indicado em caso de gravidez, pois pode afetar a formação do feto.

 

abacavir
2 comprimidos 1 vez ao dia

lamivudina
2 comprimidos 1 vez ao dia

efavirenz
1 cápsula uma vez ao dia

Atenção: Os medicamentos devem ser tomados sempre no mesmo horário, todos os dias.

 

11h da noite
Ricardo toma seus medicamentos, em casa, à noite: 2 comprimidos de abacavir, 2 comprimidos de lamivudina e 1 cápsula efavirenz Principalmente no inicio da terapia, o efavirenz deve ser ingerido longe das refeições e perto da hora de dormir para evitar problemas causados pelos efeitos colaterais desse medicamento.

Compartilhe