Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Solução » Solução n.03

10/2004

Adesão a todo vapor

Atendimento individualizado e equipe multidisciplinar podem fazer a diferença na adesão dos pacientes ao tratamento.

As farmacêuticas do Hospital Municipal Carmela Dutra, no Rio de Janeiro, Márcia Regina Bonaldo e Cleide de Barros Freitas (ao lado), não se cansam de buscar alternativas para que seus 200 pacientes com HIV/Aids tenham uma boa adesão ao tratamento. Além de oferecerem atendimento individualizado, elas fazem parte de uma equipe multidisciplinar e querem implantar no hospital o método Dáder.

Qual a importância da equipe multidisciplinar para o tratamento do paciente com HIV/Aids?
Cleide – Nossa equipe multidisciplinar é formada pelo infectologista, duas farmacêuticas, dois enfermeiros, uma psicóloga e uma assistente social. Com profissionais de diferentes áreas envolvidos, podemos garantir ao paciente um bom acompanhamento e colaborar para que ele tenha uma melhor adesão ao tratamento.

De que forma vocês, farmacêuticas, se inserem nessa equipe?

Cleide – Ao identificar a dificuldade do paciente em tomar sua medicação, fazemos os encaminhamentos necessários. Se ele não tem o que comer em casa, nós o encaminhamos para a assistente social. Se está deprimido, aconselhamos consultar a psicóloga.
Márcia – Muitos pacientes não aderem por não saber ler e então colocamos o desenho de um sol ou uma lua para ele saber se deve tomar o medicamento de dia ou de noite.

Na sua opinião, o que mais pode ser feito para contribuir com o tratamento?
Cleide – Pretendemos implementar aqui a metodologia Dáder – criada em 1999 por uma farmacêutica espanhola –, no qual o farmacêutico faz clínica.
Márcia – O paciente tem que nos informar sobre todos os medicamentos que ele está tomando, até mesmo um medicamento natural, para então fazermos um estudo sobre os problemas que estão dificultando uma boa adesão.

Quando pretendem iniciar esse trabalho?
Cleide – Começaremos a atender alguns pacientes com dificuldade de adesão na sala do médico, nos dias em que ele não está no hospital. Buscamos soluções alternativas de trabalho porque queremos que estes pacientes obtenham sucesso com seu tratamento.

SAIBA + >
FARMÁCIA NO HOSPITAL MUNICIPAL CARMELA DUTRA
(21) 2475-4551 – Av. dos Italianos, 480 – Rocha Miranda – Rio de Janeiro – RJ
cleidef@uol.com.br ou mrgdcb@uol.com.br

Compartilhe