Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.07

11/2000

Alimentação X Lipodistrofia

Uma boa alimentação pode prevenir os males causados por este efeito colateral

Nas duas últimas edições, a Saber Viver publicou informações específicas sobre a lipodistrofia. Desta vez, a alimentação será o destaque no combate a este efeito colateral. Um dos piores males causados pela lipodistrofia é o aumento do colesterol e do triglicerídeo. A nutricionista Marlete Pereira da Silva, do Hospital Clementino Fraga Filho (da Universidade Federal do Rio de Janeiro), conseguiu abaixar o índice de colesterol e triglicerídeo em vários pacientes que, além de tomarem os inibidores de protease, possuíam um histórico familiar propício a diabetes e problemas cardíacos. Ela assegura que, com uma dieta balanceada, é possível obter resultados satisfatórios em apenas um mês.
O aumento do triglicerídeo pode causar diabetes, pancreatite e doenças cardíacas. O alto índice do mau-colesterol (chamado de LDL) pode gerar doenças cardíacas.

Dicas para uma boa refeição
Para evitar esses problemas, mãos à obra. Marlete aconselha: “Para abaixar os triglicerídeos, a primeira providência é evitar a ingestão de açúcares simples. Evite comer bala e doces que não possuem nutrientes. Substitua o açúcar do cafezinho por adoçante”. Segundo ela, pessoas que sofrem com o aumento dos triglicerideos também não devem comer massas em excesso. Contra o colesterol, o ideal é evitar frutos do mar (camarão, ostra, mexilhão, etc), vísceras e miúdos (fígado, moela, coração, dobradinha, etc) e gema do ovo (assim como todos os alimentos que a contenham).

Faça o seu prato
Nesta batalha contra a lipodistrofia, a reeducação alimentar é fundamental. Incluir frutas, vegetais e legumes nas refeições é prioritário. “Esses alimentos são importantes porque são ricos em vitaminas e sais minerais, além de conterem fibras, que ajudam a eliminar a gordura de nosso organismo”, explica Marlete. A nutricionista avisa que o ideal é a pessoa realizar de 4 a 6 refeições por dia. “Não deixe de comer o arroz com feijão. Esta combinação forma uma proteína importante para o organismo. Coloque a proporção de três porções de arroz para uma de feijão”. Inclua também carnes, de preferência peixe e frango (mas retire a pele de ambos antes do preparo). Deixe o mocotó, a rabada, a buchada, a feijoada e o churrasco para quando você estiver com os exames normalizados.

O que é lipodistrofia: É uma característica de algumas doenças do metabolismo, hereditárias ou endocrinológicas. Em pacientes soropositivos, ela surge com o uso freqüente de alguns medicamentos anti-Aids, principalmente os inibidores de protease. A lipodistrofia acarreta distúrbios nos lipídios sangüineos, diminuindo o colesterol bom e aumentando o ruim e os triglicerídeos, além disso altera a distribuição de gordura no corpo.

Cardápio básico diário

Café da Manhã – Proteína (200ml de leite sem gordura – desnatado – ou outra proteína como queijo branco ou iogurte ou ovo – só a clara cozida); cereal (pão francês ou torrada ou biscoito de água e sal ou bolacha d’água); frutas à vontade.

Almoço – Vegetais folhosos à vontade; cerca de 100 gramas de proteína (de preferência, carne branca); arroz (ou macarrão ou batata inglesa); leguminosa (feijão simples -sem carnes- ou ervilha ou grão de bico ou lentilha); legumes e frutas à vontade.

Merenda – Idem ao Café da Manhã.

Jantar – Idem ao Almoço, sem a leguminosa.

Antes de dormir – Idem Café da Manhã.


Compartilhe