Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.16

06/2002

Alimentos que previnem doenças

Nunca se estudou tanto o poder dos alimentos como fonte de prevenção de doenças. Como resultado desses estudos, foram descobertos os alimentos chamados “funcionais” que, além de nutrir o organismo, são extremamente benéficos para a saúde. Entre eles, destacam-se a soja, o tomate, a cebola, o alho, o peixe, o óleo de peixe, as frutas cítricas, a semente de linhaça, o chá verde e os chamados probióticos e prebióticos (grupo de alimentos que ajudam a equilibrar as bactérias que formam a nossa flora intestinal).

A partir desta edição, a nutricionista Marlete Pereira, do Hospital Clementino Fraga Filho da Universidade Federal do Rio de Janeiro, através da Saber Viver, deixará você bem informado sobre esses alimentos, as suas funções e a melhor forma de consumi-los sem alterar as suas propriedades.

Probióticos
Colocando a flora intestinal em ordem.

Uma das reclamações mais freqüentes em relação aos efeitos colaterais dos medicamentos anti-Aids é a diarréia. “Na verdade, tanto a diarréia quanto a prisão de ventre podem ocorrer quando há um desequilíbrio entre as várias bactérias que compõem a nossa flora intestinal. Em função disso, o primeiro alimento que trataremos nesta série será o probiótico”, explica Marlete. Formado por microorganismos vivos, ele tem o poder de equilibrar a flora intestinal, inibindo a proliferação das bactérias nocivas ao organismo. Além disso, fortalece o sistema imunológico, controla o colesterol e reduz o risco de câncer no intestino. “O probiótico mais conhecido é o lactobacilo, que pode ser encontrado em iogurtes, leite fermentado e coalhada. A eficiência desse alimento é reconhecida há muitos anos, principalmente na eliminação de toxinas do organismo que surgem causadas pelo aumento das bactérias intestinais nocivas”, conta a nutricionista.

Você pode comprar probiótico em pó, em cápsulas, ou na forma in natura (em gotas) nas lojas de produtos naturais ou em farmácias de manipulação e homeopáticas. Ele é normalmente utilizado para fazer iogurtes caseiros (confira a receita ao lado) que, além de baratos, são mais saudáveis. “Se você for fazer iogurte em casa, compre diretamente o probiótico ao invés do lactobacilo. Ele é mais fácil de ser manipulado”, aconselha Marlete.

Iogurte Caseiro

O iogurte pode ser feito com leite de vaca, de cabra, de ovelha e, inclusive, leite desnatado.
1) Separe 200 ml (um copo) de leite para uma porção diária.
2) Junte a ele o probiótico. Se for em pó, use 1 colher de cafezinho rasa nivelada; ou se for em cápsulas, utilize apenas 1 cápsula; se for in natura, acrescente 10 gotas.
3) Tampe e deixe descansar por 24 horas fora da geladeira.
4) Se você prefere uma consistência mais firme do iogurte, basta prepará-lo no mesmo vasilhame onde ele será consumido. Se você preferir que o iogurte fique mais líquido e uniforme, depois de pronto, bata-o no liquidificador ou misture-o bem com uma colher.
5) Nos dois casos, você pode acrescentar adoçante, gelatina, frutas ou geléia de frutas sem açúcar.

Compartilhe