Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.39

03/2007

atazanavir + ritonavir + zidovidina/lamivudina

Combinação geralmente usada para terapia inicial

A quantidade de pesquisas envolvendo anti-retrovirais faz com que o tratamento contra aids sofra mudanças com certa freqüência. O esquema desse número é um exemplo disso. Até pouco tempo atrás, a recomendação dos médicos e do Ministério da Saúde para esquemas iniciais com o atazanavir era a não utilização do ritonavir. Isso porque não havia ainda estudos com pacientes virgens de tratamento usando os dois anti-retrovirais juntos. Hoje em dia, se recomenda que, mesmo que o paciente esteja em seu primeiro esquema, o atazanavir seja usado com o ritonavir. “A presença do ritonavir provavelmente aumenta a durabilidade do esquema e certamente evita o surgimento de mutações do HIV resistentes aos anti-retrovirais que o paciente está usando”, explica o infectologista Estevão Portela.
Atualmente, o atazanavir sem o ritonavir só é indicado para pacientes que não conseguem tolerar nem uma dose de ritonavir.

Vantagens do esquema
Apesar de potencializar a ação dos inibidores da protease (classe de anti-retroviral a que o atazanavir pertence), o ritonavir traz um problema: ele provoca diarréia e náuseas na maior parte das pessoas. A boa notícia para quem usa esse esquema é que a dose de ritonavir que acompanha o atazanavir é menor do que a que acompanha os outros inibidores da protease. Portanto, a intolerância gastrointestestinal também será menor.
Outra vantagem do atazanavir é que ele provoca menos alterações nos níveis de gordura do sangue, principalmente dos triglicerídeos. Segundo Portela, isso também leva a crer que ele causa menor acúmulo de gordura no abdômen (uma das manifestações da lipodistrofia), se comparado com outros inibidores da protease. Porém, “ainda não existem dados conclusivos sobre a influência do atazanavir na lipodistrofia”, diz o médico.

Cuidados com os remédios contra gastrite
Se você está tomando o atazanavir, deve evitar diversos medicamentos contra a gastrite (antiácidos). O único indicado nesse caso é a ranitidina, que deve ser tomada com 12 horas de distância do atazanavir. Portanto, quem tem gastrite com freqüência deve conversar com seu médico até mesmo antes de começar a tomar o atazanavir.

Icterícia afeta algumas pessoas
O atazanavir provoca o aumento da bilirrubina em metade das pessoas que o utilizam, mas isso não causa nenhum problema à saúde do organismo. O único efeito, puramente estético, é a icterícia, que se manifesta deixando os olhos amarelados e afeta apenas algumas pessoas. De acordo com Portela, em boa parte das vezes, o fenômeno melhora depois dos primeiros meses.

Zidovudina pode causar anemia
A anemia é o efeito colateral mais significativo da zidovudina, mas ela costuma ser branda e pode ser monitorada com exames de sangue periódicos. A lamivudina praticamente não causa efeitos colaterais. SV

 

 

 

Compartilhe