Saber Viver Mulher

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver Edições Especiais » Saber Viver Mulher » Saber Viver Mulher n.03

02/2004

Nossos especialistas respondem

Auxílio doença
Meu auxílio doença foi suspenso porque a perícia me considerou apta para trabalhar. Como ando muito mal de saúde, entrei com um recurso pedindo uma nova perícia e até hoje não obtive resposta. Não sei o que fazer. De que valeu ter contribuído durante anos com a previdência se agora sou ignorada?”
Isa – Porto Velho – RO

Cara Isa, Para obter a admissão do recurso, você deverá juntar laudos e declarações dos médicos que a acompanham que demonstrem à previdência que você não se encontra, de maneira alguma, apta para o exercício profissional. Infelizmente, a análise desse recurso é demorada. Um mandado de segurança também poderia ser impetrado. Sugiro que você entre em contato com a Defensoria Pública de seu estado ou uma instituição de ensino superior que, certamente, lhe auxiliará gratuitamente, patrocinando a impetração do mandado de segurança, se for de seu interesse. Desejo êxito.

MARCELO TURRA – Advogado

Todos os médicos precisam saber?
Gostaria de saber se toda vez que eu for a um médico ou ao Pronto Socorro devo dizer que sou soropositiva.
Ana – Taboão da Serra – SP

Todo profissional de saúde deve atender seu paciente seguindo normas de biossegurança (o uso de luvas é uma dessas normas) que evitam a propagação de doenças tanto para o paciente quanto para o profissional de saúde. Todo paciente, soropositivo ou soronegativo, deve exigir esse cuidado do profissional. Portanto, revelar a sua sorologia não seria necessário, apesar de ser o ideal. Sabendo da sua sorologia, a equipe de saúde pode atuar de maneira mais efetiva. Às vezes, a queixa atual pode significar uma piora clínica e, em situações de risco de vida, informar seu diagnóstico pode ser fundamental. Lamentavelmente, nem sempre o paciente se sente confiante para esta revelação. Caso você não se sinta à vontade para se expor, depois desse atendimento, procure o seu médico o mais breve possível.

DÉBORA FONTENELLE – Clínica Geral do Hospital Universitário
Pedro Ernesto e Gerência de DST/Aids da Secretaria
Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS/RJ)

Compartilhe