Saber Viver Mulher

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver Edições Especiais » Saber Viver Mulher » Saber Viver Mulher n.03

02/2004

Camisinha feminina: você ainda vai usar uma

Camisinha feminina: você ainda vai usar uma

Você já conhece a camisinha feminina? À primeira vista, seu formato diferente faz muita gente duvidar que um dia irá usá-la. Mas, a cada ano que passa, mais e mais mulheres estão deixando o preconceito de lado e buscando informações sobre essa versão feminina de cuidado na hora do sexo. Em algumas unidades de saúde do Brasil, você pode receber sua camisinha gratuitamente e contar com o apoio de um profissional para aprender como utilizá-la e conversar sobre temas como sexualidade, doenças sexualmente transmissíveis e machismo. O psiquiatra Paulo Telles fez uma pesquisa com 300 mulheres para verificar a aceitação e a adesão ao uso da camisinha feminina. Veja, na entrevista abaixo, quais foram suas conclusões.

Em sua pesquisa, as mulheres se adaptaram à camisinha feminina?
Sem dúvida, o índice de pessoas que se adaptam bem e gostam de usar a camisinha feminina é bem maior quando elas passam por um treinamento e recebem informações sobre o assunto. Existe um período de adaptação ao método. Muitas mulheres têm dificuldade nas primeiras vezes em que usam. Só depois de alguma experiência com a camisinha feminina é que começa a ficar melhor.

Quais são as vantagens da camisinha feminina em relação à camisinha masculina?
A camisinha feminina pode ser colocada até 8 horas antes da relação sexual e, portanto, o ato sexual não precisa ser interrompido para colocá-la; ela é feita de poliuretano, que é mais resistente, tem textura mais agradável e, para muitas mulheres, não causa assaduras como o preservativo masculino, que é feito de látex; o lubrificante da camisinha feminina também é elogiado pelas mulheres, não causa alergia e torna, muitas vezes, o sexo mais confortável. Por fim, muitas mulheres relataram sentir mais prazer usando esse método.

E os parceiros dessas mulheres, o que acharam?
A maioria estranhou no início e depois aprovou. Muitos homens perdem a ereção ao interromper o ato sexual para pôr a camisinha e com a feminina isso não acontece. Para superar a rejeição inicial, é preciso que homens e mulheres conversem e tomem decisões em conjunto, como por exemplo alternar o uso das camisinhas feminina e masculina.

Compartilhe