Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.13

12/2001

Conquiste seu bem estar

O que algumas pessoas fazem para melhorar sua qualidade de vida

Hoje em dia, cada vez mais pessoas, soropositivas ou não, estão buscando um maior equilíbrio em suas vidas. Uma vida saudável, espiritualizada, com mais tempo para você mesmo, para a família e amigos compensa os estresses a que somos submetidos no dia a dia. Não há como negar que conviver com o vírus da Aids é uma experiência desgastante. Mas algumas pessoas estão conseguindo passar por isso de uma forma mais leve. Como? Aceitando e compreendendo o que está acontecendo com elas e procurando alternativas para aumentar sua qualidade de vida. Rita de Cássia (foto), 32 anos, é baiana e João, 50, vive no Rio de Janeiro. Os dois nunca desistiram de buscar uma vida melhor depois que descobriram que eram portadores do HIV. E, por diferentes meios, conseguiram. Se você ainda não começou, esta é a hora. Procure seu próprio caminho e não desista com as dificuldades que aparecerem. Conquiste sua felicidade.

A busca pelo equilíbrio
Quando descobriu que era portadora do HIV, Rita se viu às voltas com um monte de questões para as quais os médicos não tinham resposta. “Decidi então começar a ler”, conta ela. “Queria saber exatamente o que estava acontecendo comigo”. Lendo e consultando seu médico, que usa terapias não convencionais para tratar doenças, Rita descobriu que poderia colaborar muito com seu tratamento anti-Aids. “A alopatia sozinha não faz milagre, ela precisa de uma parceria. Esse é o momento de prestarmos mais atenção em nós mesmos. Eu precisei do HIV para começar a tomar conta deste país com tantos conflitos, que é o meu corpo”, revela.

Hoje, Rita não perde uma noite de sono, tem uma alimentação natural, bebe muita água e só toma banho frio, porque assim se sente revigorada. Mas é na respiração profunda e pausada que encontra seu principal alimento. “Considero a respiração correta primordial para uma vida saudável. Quando a gente faz uma caminhada ou se exercita é fundamental utilizar plenamente a capacidade de nosso pulmão”, diz ela. Ao acordar, Rita faz uma respiração profunda durante alguns minutos e, depois, dá soquinhos com a mão por todo o corpo, despertando-o para mais um dia na escola em que trabalha. A massagem lhe proporciona um grande bem estar. Quando não pode pagar um massagista, ela mesma se aperta e apalpa, descobrindo onde dói, onde existe tensão. “Assim, me sinto menos tensa e ansiosa. Até minha prisão de ventre melhora”, conta Rita.

Depois de oito anos convivendo com o HIV, Rita credita ao seu interesse em saber sempre mais e aos seus cuidados com o corpo o fato de estar muito bem. Para que quiser seguir seu exemplo, Rita dá dois conselhos: “O melhor é ir devagar e sempre. Se você tentar mudar de uma hora para outra, dura só uma semana. É só uma chuva, depois passa”. E mais: “Caso você não possa fazer tudo todos os dias, faça no dia que puder, que lembrar de fazer, mas faça. Porque se a gente pensar: ‘Já que todo dia eu não posso, então não vou fazer’, aí não dá”

Meditação Transcendental

Meditar é uma excelente forma de se livrar de tensões e traumas. Desde que começou a praticar meditação transcendental, há quatro anos, João sente que mudou sua maneira de encarar a vida. “Estou mais tranqüilo”, diz ele. Mas seu caminho até ela foi longo. Desde 1988, quando descobriu que era portador do HIV, João tem procurado formas para se sentir melhor. “Fiz acompanhamento psicológico durante um tempo e comecei a freqüentar um grupo de pessoas soropositivas. Mas não me adaptei ao grupo, talvez pelo fato de estar tudo muito recente na minha cabeça”, conta ele. Atualmente, João freqüenta as reuniões organizadas por Charlotte Kikoler. Charlotte (foto) é professora de meditação transcendental e há 14 anos recebe em sua casa pessoas que convivem com o vírus da Aids. Além de um delicioso jantar, muita conversa e troca de experiências, seus convidados meditam em conjunto. Para João tem sido muito gratificante fazer parte desse grupo. “A gente conhece pessoas, faz amizades e tem a Charlotte, que é uma mãezona”, diz ele.

A meditação praticada em grupo é só uma amostra do que a meditação transcendental é capaz de proporcionar. “A meditação é uma poderosa forma de exercitar nossa mente para a felicidade. Quem medita aprende a colocar as mágoas para fora e se abrir para novas oportunidades”, ensina Charlotte. Trabalhando há 18 anos com pessoas soropositivas, Charlotte diz que a tranqüilidade e a clareza mental que a meditação traz ajuda muito àqueles que não aceitam o fato de serem portadores do HIV. Para alcançar todos os benefícios que a meditação traz, ela deve fazer parte da sua rotina. O ideal é praticá-la duas vezes ao dia. Pela manhã você se abastece de energia e à noite repõe a energia gasta. Mas se não for possível meditar diariamente, não tem problema. Medite sempre que puder. João medita quase todos os dias. “Posso meditar em diversos lugares. Até no ônibus, durante um engarrafamento”, diz ele. Charlotte concorda: “A meditação é portátil. É só sentar no chão, na cadeira, em cima da cama ou onde você estiver confortável e fechar os olhos. A igreja é um excelente lugar, por causa do silêncio e do respeito”.

Para se iniciar na meditação transcendental, são necessários, em média, cinco encontros com um instrutor. Segundo Charlotte, desse modo, ele pode conhecer seus sentimentos, sua conduta de vida e suas expectativas. Durante esses encontros você aprende técnicas de respiração e recebe seu mantra, que é um som que deve ser repetido mentalmente. “Quando estou meditando, os pensamentos vem e vão e eu deixo fluir”, diz João. A meditação é um mergulho profundo dentro da sua mente. Prepare-se.

Compartilhe