Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.26

02/2004

Aprendi a ter qualidade de vida

Tenho 28 anos e descobri que estava infectado pelo HIV em 2000, quando já estava bastante debilitado. Achei que nos próximos 3 meses iria morrer.

Passei um ano nessa tortura, sem ter com quem conversar, sem coragem para contar para minha família, sem conhecer nenhum soropositivo. Eu achava que era a única pessoa com HIV no mundo. Já havia perdido a esperança. Meu CD4 era 13 e minha carga viral estava muito alta. Tive falha terapêutica porque rejeitava a medicação. Então, um dia eu estava no Lacen/PI e um rapaz se aproximou de mim, me fez o convite para visitar o grupo de adesão que ele freqüentava todas as quartas-feiras e me entregou uma revista Saber Viver. Não dei muita importância e fui para casa. Somente por curiosidade, comecei a ler a revista. Essa leitura me despertou a vontade de visitar o grupo de adesão. Percebi que havia uma luz no fim do túnel e que eu não estava sozinho. Na primeira vez, fui com muito medo. Encontrei muitas pessoas, fiz amizades e aprendi a ter qualidade de vida. Atualmente, meu CD4 é 780 e minha carga viral está indetectável.

Há dois anos, participo semanalmente das reuniões do grupo de adesão. Junto com outras pessoas, formamos o Núcleo Piauí da Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids e faço parte da diretoria. Trabalho como voluntário no hospital de referência de Teresina, o Instituto de Doenças Tropicais Nathan Portella. Recebo todas as edições da revista Saber Viver e as divulgo para outras pessoas.

Hoje tenho total apoio de minha família, de pessoas do meu trabalho, dos meus amigos e de todos da minha cidade que sabem que tenho o HIV e me respeitam. Procuro passar informações sobre HIV e aids e luto contra o preconceito e a discriminação. Vivo melhor com HIV do que antes e incentivo todos os meus amigos soropositivos, principalmente aqueles com diagnóstico recente, para que eles não sofram como eu sofri quando descobri que estava infectado pelo HIV.

Um grande abraço a todos.

Cristiano Ferreira Silva – Teresina-PI

ctiano@bol.com.br

Compartilhe