Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.13

12/2001

Adesão certa é fundamental

“Mesmo me considerando um veterano de diagnóstico soropositivo, aconteceu um fato que me devolveu a vida. Tenho 47 anos. Há 11 sei que sou soropositivo. Como todos (as) que se deparam com um fato dessa natureza, me desesperei. Graças ao apoio da família e de amigos acabei me conscientizando e me conformando com minha atual realidade. Vale a pena lembrar que há 11 anos atrás o diagnóstico de Aids era uma condenação (sentença de morte). Fui e sou muito bem assistido pelo meu médico. Ele me comunicou que eu precisava mudar novamente a minha medicação, pois eu já estava fazendo uso há 3 anos desses remédios e os resultados laboratoriais indicavam falência terapêutica. Meu CD4 havia parado de aumentar há 2 anos e aos poucos a minha carga viral subia.

Participei, em janeiro de 2000, de um treinamento (Liderança e Ativismo) em uma cidade de São Paulo, onde toda a equipe foi maravilhosa. Destaco o dr. Môa (é assim que ele gosta de ser chamado). Conversei com ele sobre a mudança do meu remédio e ele me aconselhou que eu continuasse com o medicamento por pelo menos três meses, seguindo religiosamente os horários prescritos pelo médico. Assim fiz. Eu, como tantas outras pessoas, não segui ao pé da letra a prescrição médica. Quando o médico dizia de 12 em 12 horas, eu achava que poderia ser ao deitar e ao levantar. Mas esse horário é sempre variado. Nunca deitamos e nos levantamos nas mesmas horas. Conversei com o meu médico e lhe pedi um tempo para que eu fizesse essa tentativa. Não deu outra: meu CD4 aumentou (está em 792) e minha carga viral é indetectável. Por isso eu digo: a adesão certa é fundamental. Hoje faço parte como voluntário de uma instituição e me sinto curado.”

R. A S -Uberlândia – MG
ojuarasalles@bol.com.br

Compartilhe