Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.16

06/2002

Criatividade contra a lipodistrofia

Começam a surgir opções criativas e gratuitas para combater os efeitos da lipodistrofia

Algumas propostas criativas estão surgindo em centros de saúde e em Organizações Não-Governamentais (ONGs) como alternativa de controle da lipodistrofia – um efeito colateral que causa alteração na distribuição de gordura do corpo. Infelizmente, essas alternativas ainda são poucas e se concentram nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo. Mas devem ser vistas como um exemplo a ser seguido por outros locais no país.

No Rio de Janeiro, o Hospital Clementino Fraga Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), está organizando um trabalho em conjunto com o curso de Educação Física da universidade. O objetivo é oferecer ao paciente um serviço incluindo exercícios físicos personalizados. Em São Paulo, um grupo de médicos, psicólogos e voluntários vem trabalhando há mais de um ano no Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids (CRT) não apenas com exercícios físicos, mas também com a auto-estima e a sexualidade. Este grupo conta, inclusive, com a participação de uma fonoaudióloga que ministra exercícios faciais para diminuir os efeitos da lipodistrofia na face.

Está surgindo, também em São Paulo, um projeto comunitário cujo alvo são os estragos causados pela lipodistrofia no corpo e na mente das pessoas. O nome não poderia ser mais sugestivo: Projeto Corpo e Mente. Ele é fruto de uma parceria entre as ONGs Grupo de Incentivo à Vida (GIV) e Lutando pela Vida. A proposta é atender 120 pessoas neste ano, em dois locais diferentes: Diadema (Grande São Paulo) e Jabaquara (Capital). Serão oferecidas aulas de atividade física (incluindo ginástica facial com fonoaudióloga), acompanhamento nutricional, oficinas de auto-estima e cidadania e orientações sobre adesão ao tratamento e prevenção à lipodistrofia. “O nosso objetivo é auxiliar as pessoas a resgatarem o seu amor próprio”, diz a coordenadora do projeto, Ana Lúcia Câmara Garcia.

O atendimento é absolutamente gratuito e os interessados devem entrar em contato com as ONGs que coordenam o projeto para obter maiores informações sobre as inscrições. Os médicos dos principais centros de tratamento em DST/Aids de São Paulo também já foram comunicados sobre este serviço e já possuem ficha de inscrição para seus pacientes. Solicite a sua.

Projeto Corpo e Mente (São Paulo) Informações e inscrições gratuitas:
Lutando Pela Vida – (11) 4044 5718 e GIV – (11) 5084 0255

*****

Ministério monta grupo de trabalho sobre lipodistrofia

A Coordenação Nacional de DST/Aids do Ministério da Saúde está começando a reunir propostas de seus técnicos para a criação de um grupo de trabalho sobre lipodistrofia. As discussões ainda estão no início, mas sabe-se que este grupo será formado por técnicos e membros da Coordenação Nacional, entre eles um representante do Grupo de Apoio e Prevenção à Aids de São Paulo (Gapa/SP).

Compartilhe