Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.38

12/2006

Cuide de sua boca e mande embora o mau hálito

No escurinho do cinema.
– Você comeu pizza de cebola, amor?
– Não, querido, por quê?
– De pertinho assim, poderia jurar que comeu. Espere um minuto. Vou comprar
uma balinha de hortelã e já volto.

Saia justa essa, não é? Mas é melhor seu namorado dizer do que um desconhecido ir se afastando quando você começa a falar, concorda?
O mau hálito é um assunto cercado de “não me toques”, mas nada como um esclarecimento profissional sobre o assunto.
Segundo o cirurgião dentista e estomatologista Arley Silva Junior, o fim do mau cheiro na boca depende muito mais de atitudes da pessoa do que trabalho de consultório. Ele esclarece que o mau hálito pode surgir por causa de doenças na gengiva (incluindo aí o acúmulo de placa bacteriana que provoca o tártaro) ou dentes cariados, ou pelo consumo de certos alimentos. “Primeiro, a pessoa não pode ficar muito tempo sem se alimentar e o melhor é ter sempre horários certos para as refeições”, sugere.

Alimentos com fibras ajudam a evitar o mau hálito
Alguns alimentos são campeões em causar mau hálito: alho, cebola e derivados do leite são alguns exemplos bem conhecidos. Mas, por outro lado, esses alimentos são muito importantes para o organismo. Para o estomatologista, o importante é buscar um equilíbrio, consumindo os sem excessos.
Especialista no atendimento a soropositivos, Arley Silva Júnior conta que a maior queixa dos pacientes com HIV é o problema gástrico. “O consumo de alimentos mais fibrosos, facilitadores da digestão, podem diminuir o mau hálito.
Entre os alimentos que contém fibras estão maçã, cereais (aveia e musli, por exemplo), raízes (batata, aipim, cenoura), verduras e frutas.”

Quando o problema é constante
Arley Silva Junior esclarece que existe, sim, o mau hálito crônico, aquele que parece que nunca vai acabar, mas isso acontece em casos específicos. “Em alguns diabéticos isso é comum. Mas uma boa higiene bucal já diminuiu bem o problema”, afirma. Segundo ele “o mau hálito é um problema social. É preciso que pessoas próximas, como marido, esposa, namorado ou amigos, deem um sinal que algo não vai bem. Geralmente as pessoas que têm mau hálito não conseguem identificá-lo”.

Os remédios contra a aids e o mau hálito
Alguns esquemas de tratamento com anti-retrovirais desencadeiam alterações que deixam a saliva mais grossa e reduzida. “Nesses casos, a produção de saliva deve ser estimulada para evitar o mau hálito”, diz o especialista. Em casos mais graves, o médico pode até prescrever saliva artificial, encontrada em algumas farmácias comuns ou de manipulação.
Evitar os alimentos que provocam o mau hálito, fazer sempre uma boa higienização (escovar os dentes toda vez que acabar uma refeição) e visitar o dentista, de preferência, de três em três meses, são as melhores atitudes para detectar qualquer problema e cuidar bem da boca. SV

Dicas simples para se evitar o mau hálito
1.Mascar gengibre.
2.Beber 2 litros de água por dia no mínimo. A água é o MELHOR remédio.
3.Usar pastilhas dietéticas com sabores.
4.Pingar gotinhas de limão na língua.
5.Comer maçã cortada em cubinhos com limão.
6.Fazer bochechos com produtos sem álcool.

 

Compartilhe