Saber Viver Hepatite

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver Edições Especiais » Saber Viver Hepatite » Saber Viver Hepatites Virais n. 01

11/2006

DIAGNÓSTICO e PREVENÇÃO

Essas são as formas mais eficazes de manter longe os vírus das hepatites.

O hepatologista, professor da Universidade Estadual de Feira de Santana e consultor do Programa de Hepatites Virais do Ministério da Saúde, João Eduardo Pereira, afirma que todas as pessoas com HIV deveriam fazer o teste para saber se têm também hepatites B ou C. Mas, infelizmente, isso nem sempre acontece.

Faça o teste para HBV e HCV
Portanto, se você ainda não sabe se está infectado pelos vírus HBV e HCV, faça os exames de marcadores virais para as hepatites B e C. Existem alguns Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs) em todo o Brasil que foram treinados e realizam o teste gratuitamente. (clique aqui e veja todos os CTAs)

Existe vacina contra a hepatite B
Todo paciente com HIV, que não esteja infectado pelo vírus da hepatite B, deve ser vacinado contra o HBV. De uma forma geral, essa vacina (dada em 3 doses) é altamente eficaz. Porém, em pessoas com HIV, o aumento da dosagem da vacina ou a inclusão de uma quarta dose pode ser sugerida pelo médico. A vacina antihepatite B é administrada, normalmente, em 3 doses: a segunda, 30 dias após a primeira; a terceira, 6 meses após a primeira dose. A vacina é apenas uma alternativa de prevenção. Ela não previne contra a hepatite C (não há vacina contra o HCV), nem para o HIV. “Logo, algumas medidas comportamentais devem ser tomadas por toda a população”, defende o professor de gastroenterologia da Universidade Estadual de Feira de Santana.

Cuidados diários para evitar a infecção pelos vírus B e C
• Barbeadores, alicates, escovas de dente etc. são objetos pessoais. Como o vírus B é muito resistente e fica no sangue, ele pode ser transmitido através de qualquer corte ou sangramento. As agulhas de acupuntura, tatuagem e piercing devem ser descartáveis.
• Antes de 1992, quando os bancos de sangue não eram fiscalizados, o número de infecções por transfusão era alto. Hoje em dia, não.
• Compartilhar agulhas, canudos e cachimbos para uso de drogas, complexos vitamínicos, entre outras substâncias, é uma das formas mais comuns de transmissão do vírus da hepatite C.
• Usando a camisinha em todas as relações sexuais, você se previne do HBV, do HCV e da re-infecção pelo HIV.

 

 

Compartilhe