Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Solução » Solução n.02

08/2004

Do Ministério da Saúde até a farmácia

Programa Nacional de DST/Aids garante o estoque de anti-retroviral da sua unidade.

O acesso gratuito à terapia anti-retroviral é um compromisso assumido pelo Ministério da Saúde que vem proporcionando, desde 1996, maior qualidade de vida às pessoas que vivem com HIV/Aids no Brasil. Para que esse objetivo seja cumprido, no entanto, é fundamental o apoio de todos os profissionais envolvidos. Segundo Orlando Matchula, farmacêutico clínico do Programa Nacional de DST/Aids do Ministério da Saúde, nunca é demais ressaltar a importância do profissional de farmácia nesse processo: “Os mapas e boletins de consumo de medicamentos enviados pelas unidades dispensadoras às Coordenações Estaduais de DST/Aids e repassados por estas para o Programa Nacional são fundamentais. Seu correto preenchimento e o envio no prazo ajuda a evitar problemas de planejamento e, por conseguinte, desabastecimento da rede”.

Atividades do PNDST/Aids para que o anti-retroviral chegue até você

Seleção dos medicamentos
Os anti-retrovirais disponibilizados pelo Ministério da Saúde são definidos conforme recomendações de comitês assessores formados por médicos, ONGs e demais esferas envolvidas no processo.

Estimativa de consumo

A quantidade de anti-retroviral necessária para consumo no país é estimada a partir das informações enviadas pelas unidades dispensadoras para as Coordenações Estaduais de DST/Aids e repassadas por estas para o Programa Nacional de DST/Aids. Quando é iniciada a distribuição de um novo anti-retroviral, seu consumo nas unidades é acompanhado de perto para que as aquisições posteriores sejam adequadas.

Aquisição e estocagem

As aquisições são realizadas pelo Ministério da Saúde por meio de licitações internacionais/nacionais, ou por convênios com laboratórios oficiais. Inicialmente, os anti-retrovirais adquiridos são adequadamente estocados no almoxarifado do Ministério da Saúde, localizado em Brasília, com exceção de alguns laboratórios oficiais que realizam entregas diretamente nos almoxarifados estaduais. A existência de mais de um fornecedor de determinados medicamentos traz benefícios para o abastecimento, uma vez que possibilita alternativas ao problema de falhas na entrega.

Distribuição
O Ministério da Saúde distribui os medicamentos estocados em seu almoxarifado para as Coordenações Estaduais de DST/Aids, que são responsáveis pela redistribuição dos mesmos às unidades dispensadoras, bem como pelo gerenciamento dos estoques locais.

Compartilhe