Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.40

09/2007

efavirenz + lamivudina + tenofovir

Combinação fácil de tomar e muito usada por quem tem o vírus B da hepatite.

Alguns portadores do HIV co-infectados pelo vírus B da hepatite acabam criando resistência à lamivudina e precisam acrescentar o tenofovir à terapia antiretroviral.
A combinação desses dois medicamentos consegue reduzir a carga viral tanto do HIV quanto do vírus B da hepatite a níveis indetectáveis.
“É uma combinação normalmente bem tolerada, de fácil ingestão e poucos comprimidos que, por isso, permite uma boa adesão e consequentemente uma maior durabilidade do esquema”, afirma o infectologista Orival Silveira, que é chefe da Unidade de Assistência do Programa Nacional de DST/Aids do Ministério da Saúde.
Apesar de não ser a primeira escolha para terapia inicial, segundo as Recomendações Para Terapia Anti-retroviral em Adultos e Adolescentes, até mesmo porque o número de comprimidos ingeridos é superior ao da combinação preferencial (AZT + Lamivudina + Efavirenz), este esquema pode ser administrado para iniciar tratamento nos casos de co-infecção HIV e hepatite B. O tenofovir deve ser tomado com alimento, preferencialmente após uma boa refeição (café da manhã, almoço ou jantar). Recomendase que o efavirenz seja tomado pouco antes de dormir, pela possibilidade de alguns efeitos colaterais, como sonolência e mudança de humor. Os dois comprimidos de lamivudina podem ser administrados juntos com o tenofovir.
“Para facilitar, os pacientes que toleram bem o efavirenz podem tomar todos os medicamentos – 1 comprimido de tenofovir, 2 comprimidos de lamivudina e 1 comprimido de efavirenz – de uma só vez após o jantar” diz o médico. “O importante é manter uma regularidade no horário”, alerta o infectologista.

Prós e contras do tenofovir
Uma vantagem da inclusão do tenofovir no esquema terapêutico é a redução do risco de lipodistrofia. Pacientes que trocaram da estavudina para o tenofovir, por exemplo, observam resposta melhor em relação ao acúmulo e perda de gordura e maior estabilidade dos níveis de colesterol e triglicérides no sangue. Em algumas pessoas, no entanto, o tenofovir aumenta os níveis de creatinina e das transaminases (enzimas) que estão relacionados à função dos rins e fígado. Deve-se observar com freqüência os níveis dessas substâncias nos exames de sangue de rotina, para evitar possíveis danos hepáticos e renais.

Efavirenz e depressão
Pacientes que usam o efavirenz na combinação devem ficar atentos ao efeito colateral de maior repercussão: a depressão. Eles devem relatar ao médico, ou a outro profissional de saúde da equipe, caso se sintam deprimidas. Outras reações causadas pelo efavirenz, como perturbações no sono, sonolência e mudanças de humor, diz o médico, costumam ser superadas após algumas semanas.

 

Manhã
João toma o seu comprimido de tenofovir após o café da manhã.
Ele aproveita e toma também os 2 comprimidos de lamivudina.

 

Noite
Ele sempre toma o efavirenz quando vai dormir.
OBS: Converse com seu médico sobre a possibilidade de tomar todos os comprimidos juntos, uma vez ao dia.

Compartilhe