Saber Viver Mulher

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver Edições Especiais » Saber Viver Mulher » Saber Viver Mulher n.01

10/2003

Nossos especialistas respondem

Eu tenho direito de engravidar?

Patrícia Rios
Advogada do Grupo Pela Vidda Niterói
(21) 2719 5683

Depois que descobri que sou soropositiva, sinto uma pressão de várias pessoas para não engravidar. Enfim, eu tenho direito de ter um bebê mesmo estando infectada pelo HIV? Lúcia A – Rio de Janeiro

Querida Lúcia,
A sua pergunta é ótima e com certeza deve ser a dúvida de muitas mulheres infectadas pelo HIV. Você tem direito de engravidar, sim! Não há juridicamente nenhum impedimento neste sentido. A mulher é livre para decidir o momento e as condições adequadas para engravidar sem que a lei influa sobre esta decisão. É importante que você pense em sua saúde e na de seu parceiro e converse com o seu médico sobre o momento mais adequado para engravidar. Hoje, com a evolução do tratamento, podemos contar com alternativas muito seguras para a mãe e seu bebê desde o momento da concepção até o nascimento para evitar que ele se contamine.

Lúcia, você deve exercitar conscientemente o seu direito reprodutivo. Os profissionais de saúde devem orientá-la e acompanhá-la durante todo o período de sua gravidez e parto. Desejamos a você felicidades!

Falta de desejo sexual

Estevão Portela
Infectologista do Projeto Praça Onze e da
Secretaria Municipal de Saúde – RJ

Depois que descobri que sou soropositiva perdi a vontade de ter relações sexuais com meu marido. Não sei se os remédios estão interferindo ou é o HIV que está provocando isso. Marluce Ribeiro – SãoPaulo – SP

Amiga Marluce,
Nenhum estudo até agora conseguiu comprovar que o HIV ou o uso dos medicamentos contra aids diminui o apetite sexual. Geralmente, esse problema está relacionado ao emocional. Quando uma pessoa se descobre soropositiva, ela pode ter dificuldade de manter relações sexuais porque acha que isso pode significar um risco de contaminação do seu parceiro. Nesse caso, com orientação correta sobre as formas de transmissão e o uso do preservativo, não há porque temer. Outro fator é a desconfiança que abala a relação de um casal que se descobre soropositivo. É claro que esse sentimento vai trazer conseqüências para a relação sexual. Uma boa conversa, franca e sincera, pode aliviar a tensão. Se achar necessário, busque ajuda de uma psicóloga no local onde você faz o tratamento. A falta de libido pode estar relacionada também à disfunção hormonal, que acontece com várias mulheres, soropositivas ou não. Alguns remédios antidepressivos podem alterar o apetite sexual. Converse com o seu médico sobre o assunto. Ele poderá ajudar a encontrar alternativas para superá-lo.

Compartilhe