Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Solução » Solução n.19

06/2007

Farmacêutico Magistral: um papel importante em casos especiais


A farmácia magistral ou de manipulação costuma ser alvo de um grande elogio e de uma terrível crítica. Para elogiar, diz-se que ela dá o medicamento na dose certa para a pessoa certa; para criticar, diz-se que a concentração do princípio ativo pode sair diferente numa e noutra cápsula. Quanto ao elogio, é claro que toda a atenção farmacêutica volta-se para o atendimento individualizado, mas a especificidade da farmácia magistral é acentuar essa individualização.

Para quem precisa de 20 cápsulas de um determinado medicamento, por exemplo, a farmácia magistral manipula essas 20. O mesmo medicamento pode só estar disponível na indústria em caixas de 15 cápsulas. Nesse caso, o paciente teria que comprar duas caixas e guardaria as dez cápsulas restantes. Estas talvez viessem a ser tomadas indevidamente em outro momento.

Manipulação é alternativa para falta de alguns medicamentos 
O trabalho do farmacêutico magistral também possibilita ao médico prescrever doses não disponíveis na indústria. Recorre-se à farmácia de manipulação, digamos, no tratamento de crianças que não toleram os medicamentos nas doses usuais. Além disso, a atuação do farmacêutico magistral pode ser importante para suprir uma falta na indústria. Há cerca de um ano, aliás, falta o Dapsona 100 mg para os pacientes do SUS – Sistema Único de Saúde. Então, uma das alternativas adotadas pela farmácia do Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas (IPEC – Fiocruz/RJ) é o aviamento do medicamento em farmácias particulares de manipulação.

Proprietária de uma dessas farmácias, Roseana Seabra Nogueira conta que costuma atender também diretamente a pacientes do SUS. Nesses casos, ela faz um desconto nos preços dos medicamentos: “Eles nos procuram quando as farmácias do governo não têm o que eles precisam”, explica. “A vantagem do nosso trabalho é que é bem personalizado”, observa.

Confirmado o elogio, falta avaliar a crítica. Dizer que a concentração pode variar de uma cápsula manipulada a outra é, na opinião de Roseana, “uma lenda”. Ela explica que é quase impossível que ocorra esse tipo de erro pois as substâncias são distribuídas pelo manipulador com a ajuda de máquinas bastante precisas. “Quem entra numa farmácia de manipulação logo vê que não tem como errar”, garante. “Somos fiscalizados pela Vigilância Sanitária, temos uma associação para discutir um sistema único de qualidade, só compramos matéria-prima de fornecedores credenciados e ainda mantemos um laboratório de controle de qualidade”, enumera.

SAIBA +
Anfarmag – Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais www.anfarmag.org.br

 

Nota

Três anos de Farmácia Popular

Em junho, o Programa Farmácia Popular do Brasil completou três anos de funcionamento. No período, quase 12 milhões de atendimentos foram realizados pelas 324 unidades do programa. Assim, medicamentos são adquiridos a preço de custo, bastando que se apresente a receita com o CRM do médico ou do dentista.
Fazem parte do programa medicamentos que tratam de doenças com maior incidência no país, como hipertensão, diabetes, úlcera gástrica, depressão, asma, infecções, verminoses, cólicas, enxaqueca, queimadura, inflamações e alcoolismo. Estão disponíveis, também, preservativos masculinos e anticoncepcionais. Em março de 2006, o programa foi estendido à rede privada. Hoje, são 3.416 drogarias que vendem medicamentos de combate à hipertensão e à diabetes com 90% de desconto. Os estabelecimentos podem ser identificados pela marca “Aqui tem Farmácia Popular”. Desde junho, o programa oferece também anticoncepcionais através dessas drogarias.

SAIBA +
http://portal.saude.gov.br/saude/

Compartilhe