Saber Viver Tuberculose

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver Edições Especiais » Saber Viver Tuberculose » Saber Viver Tuberculose n.01

06/2005

Incluindo o tratamento preventivo da tuberculose no dia a dia

Poucas mudanças acontecem na vida de uma pessoa que está tomando os medicamentos contra a Aids e inicia o tratamento preventivo para a tuberculose

Para evitar que o bacilo da tuberculose se espalhe pelo seu corpo e você fique doente, a saída é não abrir mão dos comprimidos de isoniazida (de 100 mg cada) diariamente, durante 6 meses, quando indicado por seu médico. “É muito importante que a pessoa não perca nenhuma dose desse medicamento, por isso eu sempre sugiro aos meus pacientes que tomem a isoniazida junto ao café da manhã, para criar um hábito”, conta a clínica geral Ely Cortes. Mas, quando se esquece alguma dose, o ideal é tentar identificar o motivo do esquecimento: “Se ele esqueceu de tomar porque dormiu na casa de amigos, a dica é ter sempre alguns comprimidos de reserva na bolsa ou na carteira. O importante é não esquecer de tomar os remédios novamente para não prejudicar o tratamento”. A médica alerta que a isoniazida, tomada de forma irregular, não previne a doença tuberculose, pois o medicamento pode perder o seu efeito. Efeitos colaterais da isoniazida O efeito colateral mais comum provocado pela isoniazida é a neuropatia periférica, ou seja, alteração de sensibilidade principalmente nos pés. “Mas isso pode ser evitado se, junto à isoniazida, for prescrito um comprimido de vitamina B6 (piridoxina), que não é distribuída no serviço público, como é o caso da isoniazida, mas o seu custo é baixo”, explica a médica Ely Cortes. Isoniazida e remédios contra a aids Pessoas que tomam estavudina – anti-retroviral que também pode causar neuropatia periférica – têm mais chances de desenvolver este efeito colateral. Outro efeito colateral da isoniazida é a toxicidade hepática. Porém, o risco é muito maior quando a pessoa está fazendo tratamento da tuberculose (quando, além da isoniazida, são prescritos mais dois remédios). A nevirapina é um dos medicamentos contra a Aids que podem sobrecarregar o fígado. Quando tomada junto com a isoniazida, ela pode aumentar os riscos de uma hepatite ou de outros problemas de toxicidade hepática. “Este paciente deve ser monitorado de perto por seu médico, realizando exames de função de fígado regularmente”, alerta a médica.

AVISE AO SEU MÉDICO QUALQUER SINTOMA DIFERENTE

O tratamento com a isoniazida é feito exclusivamente para a prevenção da tuberculose. Se a pessoa, ao longo desse tratamento, pegar a doença, deve mudar de tratamento imediatamente. A isoniazida, sozinha, não trata a tuberculose. Portanto, se você sentir algum sintoma estranho durante o tratamento preventivo da tuberculose, como tosse, febre, cansaço excessivo, dores em qualquer parte do corpo etc, fale com o seu médico para que ele investigue a causa.

No café da manhã

Carlos está fazendo o tratamento preventivo da tuberculose. Na hora do café da manhã, ele toma os comprimidos de isoniazida 100 mg e um comprimido de vitamina B6, além dos remédios que compõem o tratamento contra a Aids.

Quando esquece

As doses de isoniazida devem ser tomadas diariamente. Quando Carlos esquece de tomá-las de manhã, ele as ingere no almoço ou no jantar. Como precaução, ele sempre carrega alguns comprimidos do medicamento na bolsa ou na carteira. Mas quando se lembra só no dia seguinte, toma apenas a dose normal e tenta identificar o motivo que o fez esquecer dos remédios, para que isso não se repita mais. Se você toma a isoniazida, único medicamento de prevenção à tuberculose, de forma irregular, o remédio não será efetivo.

Compartilhe