Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Solução » Solução n.09

10/2005

Informação é o melhor remédio

Farmacêutico: de simples atendente de farmácia a
conhecedor de medicamentos

O Conselho Federal de Farmácia (CCF) quer que o farmacêutico volte a ser visto pela sociedade como um conhecedor de medicamentos. Para isso foi lançado, em abril deste ano, o Programa de Sistematização do Centro Brasileiro de Informações sobre Medicamentos (Cebrim). O objetivo é valorizar o profissional de farmácia e estimular sua função social, a partir de constantes atualizações.

“Quem entende de medicamento é farmacêutico”, resume Radif Domingos, coordenador do Programa. “Mantê-lo sempre atualizado é fundamental para garantir a manutenção da saúde da sociedade”. Para ele, a iniciativa, inédita no país, ajudará a salvar muitas vidas. “Segundo um levantamento realizado pela Fiocruz em 2004, 30% de todas as intoxicações registradas no Brasil resultam do uso incorreto de remédios”, revela.

Banco de dados e tira-dúvidas on line
A primeira etapa do Programa consiste em um curso de qualificação dos profissionais em farmácia comunitária. Especialistas em farmacologia e farmácia clínica apresentam aos profissionais os principais desafios dessa realidade e ensinam as estratégias para driblá-los – a informação é a principal delas. Em um futuro próximo, as farmácias conveniadas terão acesso a um banco de dados informatizado com 2.500 perguntas e respostas sobre medicamentos, além de um tira-dúvidas on-line conectado 24h a cinco farmacêuticos altamente qualificados.

Além de disponibilizar informações científicas sobre medicamentos, garantindo um atendimento mais ágil, seguro e eficiente, o Programa de Sistematização do Cebrim possibilitará a realização do serviço de farmacovigilância. Graças a uma parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os farmacêuticos poderão identificar com mais exatidão medicamentos problemáticos e encaminhá-los rapidamente à Anvisa.

Para que o Programa contemple todo o país, porém, é necessário tempo. Após a aprovação do projeto piloto em Brasília e do sucesso da iniciativa em Goiânia, o próximo passo é a expansão para outras regiões, a partir de 2006.

SAIBA + 
Acesse o site da CFF:www.cff.org.br/Cebrim/Programa_de_Sistematização_do_Cebrim.pdf

Compartilhe