Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.47

12/2010

Kaletra (Lopinavir + Ritonavir)

Kaletra é o nome comercial da associação de lopinavir (200mg) e ritonavir (50mg). O medicamento pertence à classe de inibidores da protease. Existem também a solução oral e o novo Kaletra em comprimidos para crianças, com menor concentração dos princípios ativos (100mg de lopinavir e 25mg de ritonavir).

Para adultos que ainda não iniciaram a terapia antirretroviral, a administração pode ser feita de duas formas: dois comprimidos de 12 em 12 horas; ou quatro comprimidos, de 24 em 24 horas – com ou sem alimentos. O Kaletra não precisa de nenhuma condição especial de armazenamento.

Associação com outros medicamentos

“Ainda não está aprovada no Brasil a dose única diária do Kaletra para crianças e adultos com experiência com múltiplos esquemas ou a associação do mediamento ao esquema efavirenz, nevirapina, carbamazepina, fenobarbital ou fenitoína”, alerta a médica Márcia Rachid, da Gerência de DST/Aids, Sangue e Hemoderivados da Secretária Estadual de Saúde do Rio de Janeiro.

“O Kaletra é indicado para pacientes que vão inaugurar a terapia antirretroviral e também para esquemas de resgate que dependem do grau de resistência viral do paciente. Nestes casos, o ideal é realizar o teste de genotipagem do HIV”, considera Márcia.

Reações adversas

Alguns pacientes toleram muito bem o lopinavir/ritonavir e não apresentam efeitos adversos. Entretanto, são comuns, especialmente no início do tratamento, episódios de diarréia, náusea, vômitos, alterações gástricas, sensação de fraqueza e forte dor de cabeça. Possíveis interações com outras substâncias podem ocasionar problemas graves. Por isso, consulte sempre o médico ou o farmacêutico antes de ingerir qualquer medicamento. Outro alerta importante é que a solução oral desta combinação contém grande quantidade de álcool. Tome cuidado ao usar metronidazol ou dissulfiram.

EFEITOS COLATERAIS O QUE FAZER?

Aumento dos níveis de triglicerídeos e de colesterol (LDL) – As alterações metabólicas costumam aparecer em curto prazo. Acompanhamento médico e nutricional ajudam a evitar complicações cardiovasculares.

Alterações do ritmo cardíaco e da atividade elétrica – Podem ocorrer especialmente em quem já têm problemas cardíacos ou toma remédios que causam essas alterações.

Alterações hepáticas – mais frequentes em pessoas com hepatites B ou C. Evitar a ingestão de medicamentos tóxicos para o fígado e o consumo de bebidas alcoólicas.

Pancreatite – A inflamação do pâncreas é um efeito raro. Evitar o consumo de bebidas alcoólicas.

Diabetes ou hiperglicemia – Comum em pessoas em uso de inibidores de protease, principalmente quando há histórico familiar.

Compartilhe