Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.23

08/2003

Lamivudina + zidovudina + nelfinavir

Uma combinação muito utilizada como primeira opção de tratamento

Os leitores que acompanham a Saber Viver desde o início já viram esse esquema terapêutico publicado na seção Passo a Passo do número de lançamento da revista. Por ser uma combinação muito freqüentemente utilizada pelos portadores do HIV, resolvemos publicá-la novamente, já que em seu primeiro número a Saber Viver circulava apenas em três unidades de saúde do Rio de Janeiro.

A zidovudina e a lamivudina são duas substâncias diferentes que foram reunidas em um só medicamento e fazem parte da mesma classe de anti-retrovirais: os inibidores da transcriptase reversa análogos de nucleosídeos. Basta um comprimido de zidovudina + lamivudina de 12 em 12 horas para que haja ação contra o HIV.

O nelfinavir faz parte de uma classe de anti-retrovirais, os inibidores da protease, que costuma provocar como efeito colateral o aumento das taxas de triglicerídeos no sangue. Segundo o infectologista Estevão Portela, entre os medicamentos da sua classe, o nelfinavir parece ser o que menos provoca esse efeito. “Por esse motivo, ele é um dos inibidores da protease recomendado pelo Ministério da Saúde como primeira opção para tratamento”, diz ele. “Além disso, o nelfinavir causa lesão hepática com menos freqüência que os outros medicamentos”.

Cuidados a serem tomados
É fundamental que o nelfinavir seja ingerido com alimentos para que a absorção do medicamento pelo organismo seja satisfatória. Mas evite alimentos gordurosos que dificultam a digestão e alimentos que têm a tendência de soltar o intestino, pois o nelfinavir costuma provocar diarréia. “Medicamentos à base de cálcio têm sido utilizados com sucesso para evitar esse efeito colateral”, informa Estevão Portela. “Mas o cálcio precisa ser utilizado de modo controlado, por isso recomendo que seu uso seja avaliado pelo médico”, acrescenta ele.

A zidovudina pode causar anemia (diminuição de glóbulos vermelhos no sangue), cujos sintomas são palidez, cansaço e tonteiras. Ela também pode provocar diminuição dos glóbulos brancos, principalmente em pessoas que estão tomando outros medicamentos que deprimem os glóbulos brancos, como os que tratam o citomegalovírus e a toxoplasmose.

Para controlar as taxas de glóbulos vermelhos e brancos no sangue, é imprescindível realizar exames de sangue (hemograma) periodicamente.

Sugestões para o dia-a-dia
Em cada número, um personagem diferente mostra na seção Passo a Passo como tomar seus medicamentos corretamente sem se atrapalhar. Mas são apenas sugestões. Cada pessoa deve pensar quais são os melhores horários para tomar seus remédios
e lembrar de ingeri-los sempre na hora certa. SV

zidovudina + lamivudina 
1 comprimido de 12 em 12 horas
nelfinavir
5 comprimidos de 12 em 12 horas


11h da manhã

Rui sempre acorda depois das 10h da manhã.
As 11h, ele toma seu café da manhã junto com os 5 comprimidos do nelfinavir (lembre-se que esse medicamento deve ser ingerido com alimentos) e o comprimido de zidovudina + lamivudina (esse remédio pode ser ingerido com ou sem alimento).


11h da noite

Estando em casa ou na rua, às 11h da noite Rui faz um lanche para tomar seus medicamentos: 5 comprimidos do nelfinavir e o comprimido de zidovudina + lamivudina. Tomar os dois remédios no mesmo horário facilita a vida. Assim você corre menos risco de esquecê-los.


DICAS


para o seu tratamento

Para lembrar da medicação, existem algumas medidas simples que ajudam muito, principalmente no início. Depois os remédios vão acabar fazendo parte da sua rotina diária, assim como escovar os dentes.

Coloque a quantidade de comprimidos que você precisa tomar por dia em frascos, como aqueles de filme fotográfico. Um frasco para cada dia da semana. Assim fica mais fácil garantir que você tomou a quantidade necessária de comprimidos quando chega o fim do dia. Além disso, fica mais fácil levar os medicamentos no bolso ou na bolsa.

Outra boa medida para você nunca esquecer de tomar seus medicamentos é programar o alarme de um relógio ou de um beeper para tocar sempre que você tiver que tomar algum remédio.

Anote os horários da sua medicação em um lugar que você olhe sempre, como o caderno, a agenda, ou num papel colado no espelho ou na porta do armário.

Compartilhe