Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.18

10/2002

Lopinavir-r + estavudina + lamivudina + Efavirenz

Dessa vez, nossa seção passo a passo vai contemplar a sugestão de um leitor que gostaria de ver na
revista a seguinte combinação:
 lopinavir-r + estavudina + lamivudina + efavirenz

Essa combinação é normalmente usada por pessoas que já tomaram outras combinações de medicamentos e não conseguiram permanecer com uma boa resposta imunológica. Ou seja, a carga viral não baixou até um nível satisfatório e o nível de CD 4 também não é considerado suficiente para proteger o portador do HIV de doenças.

Quando isso acontece, é necessário introduzir na terapia novos medicamentos que possam resgatar a eficiência do sistema imunológico. “Em situação de resgate terapêutico, geralmente é necessário juntar numa mesma combinação um inibidor de protease (nesse caso, o lopinavir-r) e um inibidor de transcriptase reversa não análogo de nucleosídeo (nesse caso, o efavirenz). Essas duas drogas são muito potentes”, afirma o infectologista Estevão Portela.

O lopinavir-r é um inibidor da protease composto por uma associação de lopinavir com uma pequena dose de ritonavir. Nessa formulação, o ritonavir potencializa a ação do lopinavir, tornando esse medicamento muito eficaz para aqueles pacientes que têm vírus HIV resistentes a outros inibidores da protease. Como todos os inibidores da protease, o lopinavir-r aumenta os níveis de colesterol e triglicerídeos do sangue. Por isso, siga uma alimentação saudável, sem gorduras ou frituras e faça exames de sangue periódicos para acompanhamento.

O efavirenz causa, em algumas pessoas, sonolência ou mudanças de humor. Por isso, recomenda-se ingeri-lo, à noite, em casa. Há também relatos de pesadelos provocados por esse medicamento. Mas esses sintomas costumam desaparecer depois de algumas semanas.

A estavudina pode causar inflamação nos músculos e nos nervos periféricos, provocando dores no corpo e dormência nos pés e mãos. Menos de 10% das pessoas têm esse efeito colateral e, se esse for o seu caso, comunique ao seu médico, pois ele poderá indicar como amenizar o problema.

Apesar de serem muitos comprimidos por dia, esta é uma combinação fácil de tomar, pois pode ser dividida em três tomadas diárias. Veja a seguir as sugestões do nosso personagem João para organizar seu dia com os medicamentos. Lembre-se de que são apenas sugestões. Só você e seu médico são capazes de escolher os melhores horários para você tomar a sua medicação.

Lopinavir-r (Kaletra)
4 cápsulas de 12 em 12 horas
Estavudina (d4T)
1 cápsula de 12 em 12 horas
Lamivudina (3TC)
1 comprimido de 12 em 12 horas
Efavirenz (Stocrin)
3 cápsulas 1 vez ao dia

8h da manhã
Junto com o café da manhã, João toma 1 cápsula de estavudina, 1 comprimido de lamivudina e 4 cápsulas de lopinavir-r. Para melhorar tanto a tolerância quanto a absorção do lopinavir-r, o ideal é que ele seja ingerido junto com alimentos.

8h da noite
João toma 1 cápsula de estavudina,
1 comprimido de lamivudina e 4 cápsulas de lopinavir-r, logo após o jantar.

10h da noite

Antes de dormir, João toma 3 cápsulas de efavirenz. Para evitar os efeitos
colaterais descritos acima, provocados pelo efavirenz, recomenda-se ingeri-lo longe das refeições. Aqueles que não se sentem incomodados com os efeitos colaterais do efavirenz podem tomá-lo junto com os outros medicamentos da noite.

Compartilhe