Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.28

04/2004

lopinavir-r + saquinavir + tenofovir + zidovudina + lamivudina

Uma combinação para pessoas com resistência aos anti-retrovirais disponíveis

O sucesso dessa combinação, geralmente indicada para pacientes cujo tratamento já falhou com pelo menos dois esquemas de anti-retrovirais, se deve à associação de dois inibidores da protease, o lopinavir-r e o saquinavir, e à inclusão de um medicamento ainda pouco utilizado, o tenofovir.

O tenofovir, segundo o infectologista Estevão Portela, tem um importante papel em situações de resgate terapêutico, pois ele mantém sua ação contra o HIV, ainda que o vírus já esteja resistente a medicamentos de classe similar à sua. Já a presença da combinação zidovudina + lamivudina decorre de pesquisas recentes que mostram que essas substâncias podem colaborar com o tratamento, mesmo que o paciente já tenha resistência a elas. “A mutação que confere ao HIV resistência à lamivudina e algumas das mutações que conferem resistência à zidovudina dificultam o surgimento da principal mutação associada ao desenvolvimento de resistência ao tenofovir”, explica Estevão Portela. “Esse tipo de atuação dos anti-retrovirais tem sido muito estudado atualmente”.

Efeitos colaterais

O lopinavir-r e o saquinavir, como todos os inibidores da protease, costumam provocar diarréia (principalmente nos primeiros meses de uso), aumento dos níveis de colesterol e triglicerídeos no sangue e mudanças na distribuição da gordura corporal (a chamada lipodistrofia). Estevão Portela recomenda que o paciente não deixe de fazer exames de acompanhamento, nem falte às consultas: “É fundamental conversar sempre com o médico e contar o que vem sentindo. Ele indicará o que fazer”. Segundo o infectologista, um acompanhamento nutricional é importante, assim como a prática de exercícios. Mas nem sempre isso é suficiente. Em alguns casos, é preciso recorrer a medicamentos para atenuar os efeitos colaterais.

Ao fazer uso do tenofovir, é preciso ter maior atenção a possíveis efeitos tóxicos nos rins. “Apesar de, até o momento, essa toxidade não ter sido detectada em nenhum paciente, é bom monitorar os níveis de uréia e creatinina com exames que fazem parte da rotina do tratamento”, explica o médico.

A zidovudina pode causar a diminuição de glóbulos vermelhos (anemia) e alteração nos glóbulos brancos. Por isso, é imprescindível realizar exames de sangue (hemograma) periodicamente para controle.

A lamivudina praticamente não provoca efeito colateral. SV

 

lopinavir-r

3 cápsulas de 12 em 12 horas (com alimentos)

saquinavir

5 cápsulas de 12 em 12 horas (com alimentos)

tenofovir

1 comprimido por dia (de preferência com alimentos)

zidovudina + lamivudina

1 comprimido de 12 em 12 horas

 

8 da manhã

Mesmo quando está passeando, Marcos não se esquece do seu tratamento. Junto com seus medicamentos da manhã, ele faz um lanche.

3 cápsulas de lopinavir-r

5 cápsulas de saquinavir

1 comprimido de tenofovir

1 comprimido de zidovudina + lamivudina

 

8 da noite

Marcos toma seus medicamentos da noite, junto com alimentos.

3 cápsulas de lopinavir-r

5 cápsulas de saquinavir

1 comprimido de zidovudina + lamivudina

Compartilhe