Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver Profissional de Saúde » Saber Viver Profissional de Saúde n.03

12/2005

Ministério divulga dados de hepatites virais

O Programa Nacional de Hepatites Virais divulga dados preliminares sobre a prevalência das hepatites A, B e C nas regiões nordeste e centro-oeste. Os números finais serão divulgados até o final de 2006

O Programa Nacional de Hepatites Virais (PNHV) do Ministério da Saúde divulgou dados preliminares sobre a prevalência das hepatites A, B e C nas regiões centro-oeste e nordeste, com base em uma amostra representativa do conjunto das capitais do país. Os dados das regiões sudeste, sul e norte ainda não foram iniciados. Ao todo, serão entrevistadas 31.245 pessoas, divididas por faixa etária de 5 a 19 anos para hepatite A e com mais de 10 anos para as hepatites B e C, incluindo os fatores de exposição associados.

Segundo a coordenadora do PNHV, Gerusa Figueiredo, não é possível extrapolar os resultados para cada capital, e sim para o conjunto das capitais. Um maior detalhamento exigiria um número maior de entrevistados. Apesar disso, estes resultados serão fundamentais para nortear as medidas de intervenção e a prioridade no planejamento das ações do PNHV. Esta pesquisa está orçada em cerca de 4 milhões de reais. Os números finais deverão ser divulgados até o final de 2006.

CO-INFECÇÃO HIV E HCV/HBV 
O PNHV informa que há estudos brasileiros, a maioria com amostra de demanda de serviços, que mostram taxas entre 16 e 36,6% de co-infecção de HIV e HCV. A taxa de co-infecção pelo HBV e HIV nos trabalhos publicados foram menores que 10%. O HBV possui as mesmas formas de transmissão do vírus da aids: através de relações sexuais com pessoas portadoras dos vírus e através do sangue infectado. Isso torna a incidência da hepatite B expressiva entre os infectados pelo HIV. Outra semelhança entre o vírus da aids e os das hepatites B e C, é que eles podem demorar muitos anos para se manifestar como doença. Ou seja, como no caso do HIV, uma pessoa pode ter o vírus da hepatite e não saber. Segundo Alex José Silva Freitas, do Programa Nacional de Hepatites Virais (PNHV), um indivíduo infectado por HIV e ao mesmo tempo por HCV e/ou HBV poderá evoluir com progressão mais rápida da hepatite para um quadro de cirrose e câncer de fígado, do que se fosse HIV negativo. “Estudos comprovam que o curso tanto da hepatite C quanto da B costuma ser bastante agressivo em pessoas com HIV”, explica o médico.

Região Centro-Oeste
Hepatite A De 05 a 9 anos
De 10 a 19 anos
32,1%
56,0%
Hepatite B De 10 a 19 anos
De 20 a 69 anos
1,24%
12,7%
Hepatite C De 10 a 19 anos
De 20 a 69 anos
1,03%
2,11%
Região Nordeste
Hepatite A De 05 a 9 anos
De 10 a 19 anos
40,1%
51,8%
Hepatite B De 10 a 19 anos
De 20 a 69 anos
2,02%
11,6%
Hepatite C De 10 a 19 anos
De 20 a 69 anos
0,50%
1,66%

Compartilhe