Saber Viver Hepatite

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver Edições Especiais » Saber Viver Hepatite » Saber Viver Hepatites Virais n. 01

11/2006

O que são as HEPATITES VIRAIS

Antes de tratar da hepatite, conheça um pouco mais esta doença.

A hepatite é uma inflamação no fígado que pode alterar o seu funcionamento, colaborando para o aparecimento de cirrose, câncer e outras doenças. Existem várias formas de hepatite. As mais comuns são as virais que, como o próprio nome sugere, são causadas por vírus. A hepatite também pode ser provocada por agentes tóxicos, como drogas, medicação e outras substâncias químicas.
As hepatites virais são classificadas por letras do alfabeto: A, B, C, D e E.

Hepatite B: uma DST que age silenciosamente contra o fígado
O HBV, vírus que causa a hepatite B, é transmitido através de relações sexuais sem camisinha e através do contato com sangue contaminado. Na maioria das pessoas infectada pelo HBV na idade adulta, o organismo se encarrega de curar a doença em cerca de 6 meses. Quando isso não ocorre, a infecção pode se tornar crônica (que pode levar à morte do paciente), gerando ao longo de 20 anos doenças como insuficiência hepática e câncer do fígado.
Existe uma vacina contra o vírus da hepatite B disponível nos postos de saúde, gratuitamente, para alguns grupos. Soropositivos para o HIV que não estejam infectados pelo HBV podem ser indicados à vacinação. Converse com o seu médico sobre esta possibilidade.

Hepatite C: sem vacina, doença é comum entre usuários de drogas
A transmissão da hepatite C acontece através do vírus C (HCV), reconhecido cientificamente em 1989. Antes disso, a doença se chamava hepatite não A – não B.
Ela é transmitida através do contato com sangue contaminado. Apesar de a transmissão sexual não ser considerada significativa, existem formas de contrair o HCV fazendo sexo sem camisinha, por causa dos sangramentos que podem ocorrer, principalmente no sexo anal.
Segundo o Programa Nacional de Hepatites Virais do Ministério da Saúde, pessoas que tenham outras doenças de transmissão sexual, como o HIV, têm um risco maior de adquirir ou transmitir o vírus C.
Estudos identificaram o HCV no sangue menstrual de mulheres infectadas e nas secreções vaginais. Entretanto, no esperma, o HCV foi encontrado em concentrações muito baixas, o que pode dificultar a sua transmissão.
Cerca de 80% das pessoas que se infectam com o vírus da hepatite C não conseguem se curar da doença espontaneamente, como ocorre com a hepatite B. Essas pessoas desenvolvem inflação no fígado constantemente, o que pode levar – em um período médio de 20 anos – a cirrose, insuficiência hepática e câncer do fígado. Como na maioria dos casos a doença não gera sintomas, quanto mais cedo o diagnóstico, melhor.
Dependendo da carga viral e do tipo do vírus C, o tratamento pode durar cerca de um ano. A chance de cura varia de 50% a 80%, dependendo de cada caso.
Ao contrário da hepatite B, não há uma vacina capaz de prevenir a hepatite C.

Hepatites B e C: Um grave problema de saúde pública
A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 400 milhões de pessoas no mundo estejam infectadas pelo vírus da hepatite B e 170 milhões, pelo vírus C. No Brasil, o Ministério da Saúde acredita que cerca de 14 milhões de pessoas já tiveram contato com vírus da hepatite B.
Atualmente, no país, a hepatite C é a principal causa de doença crônica do fígado e a mais freqüente indicação de transplante hepático.

Sintomas mais comuns das hepatites B e C
Na maioria dos casos, as pessoas infectadas não apresentam sintomas. Em casos agudos, os sintomas são enjoo, dor de cabeça, febre baixa, vômitos e aversão a alguns alimentos, falta de apetite, corpo ruim (como gripe), fadiga, olhos amarelados (amarelão ou icterícia), urina escura, fezes brancas e aumento do fígado e do baço.

Vírus da hepatite B é muito mais resistente do que o HIV
O vírus da hepatite B (HBV) é muito resistente. Ele pode sobreviver no ambiente por cerca de 7 dias. Ele resiste durante 10 horas a 60º C, durante 5 minutos a 100º C, ao éter e ao álcool a 90% e pode permanecer vivo após vários anos de congelamento. Até hoje, não foi definido o tempo de resistência do vírus C no ambiente. Sabe-se apenas que ele é mais frágil que o vírus B e mais resistente que o HIV.

Fígado: Um laboratório natural do organismo
O fígado atua como um grande filtro no organismo. Além de promover a digestão dos alimentos e das gorduras através da bile, ele processa as reservas de ferro, vitaminas e minerais no corpo, desintoxica o organismo de substâncias químicas, drogas e bebidas alcoólicas. No fígado, o corpo armazena energia para o seu funcionamento. As hepatites causam uma inflação no fígado, alterando suas funções e, por conseqüência, provocando diversos danos ao organismo.

Hepatite A:
Causada pelo vírus A (HAV), esta doença é transmitida através do contato com humano infectado ou por água e alimentos contaminados (transmissão fecal-oral).
A maioria das pessoas consegue eliminar naturalmente o vírus A. Apesar de existir vacina (não disponível no serviço público de saúde), as melhores formas de prevenção da doença são saneamento básico (tratamento de esgoto e água) e higiene no preparo de alimentos.

Hepatite D (delta):
Causada pelo vírus D que, para se manifestar, necessita da presença do vírus da hepatite B (HBV). Suas formas de transmissão, prevenção e tratamento são parecidos com os da hepatite B.

Hepatite E:
Causada pelo vírus E (HEV), está relacionada a condições de saneamento básico, como a hepatite A.

 

 

Compartilhe