Saber Viver Hepatite

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver Edições Especiais » Saber Viver Hepatite » Saber Viver Hepatites Virais n. 01

06/2006

O TRATAMENTO

TRATAMENTO para quem tem HIV e HBV:

Segundo o hepatologista João Eduardo Pereira, pessoas com HBV e HIV que têm carga viral e CD4 normais, sem uso dos medicamentos contra a aids,podem ser indicados ao tratamento da hepatite B, cuja base é o interferon ou medicamentos da classe dos análogos de nucleosídeo ou nucleotídeo. A escolha depende do estágio da infecção pelo HBV. Nesses casos, é possível o médico incluir no tratamento contra a aids medicamentos que possam combater também o vírus B, como lamivudina e tenofovir. Ambos têm ação anti-HIV e anti-HBV.
O interferon convencional, para hepatite B, deve ser administrado diariamente num período indefinido de tempo. A fórmula peguilada, semanalmente. Os análogos de nucleosídeo ounucleotídeo são utilizados diariamente em uma única dose.

Contra-indicação para o uso do interferon:
• psicose presente ou passada ou depressão aguda;
• transplante de órgãos, exceto o fígado;
• doenças cardíacas sintomáticas;
• cirrose descompensada;
• convulsões descontroladas;
• diabete não controlada;
• desordens auto-imunes, como tireoidite.

< EDUARDO TEM O HIV E O HBV.
Ele toma, diariamente, um comprimido de tenofovir pela manhã, junto com dois comprimidos de lamivudina de 150ml. À noite, é a vez de uma cápsula de efavirenz.

 

TRATAMENTO para quem tem HIV e HCV:
O tratamento da hepatite C para a maioria das pessoas que também têm o HIV é através da combinação do interferon peguilado com a ribavirina, que pode ser tomada, inclusive, junto com tratamento contra a aids. O interferon peguilado é uma medicação injetável embaixo da pele (subcutânea) uma vez por semana. A ribavirina é uma pílula que se toma via oral duas vezes ao dia. O tratamento dura 12 meses, com exames trimestrais para verificar a resposta do organismo aos medicamentos.

Tratamento é mais eficaz em organismo mais forte
O tratamento com esses medicamentos funciona para a maioria das pessoas, mas não para todo mundo. Cerca da metade dos indivíduos tratados tem fígado mais saudável e nenhum sintoma de hepatite C até o final do tratamento. Em algumas pessoas, o fígado melhora durante o tratamento, mas o vírus C não é eliminado completamente do organismo. Elas devem ser examinadas sempre pelo hepatologista.
Ter um sistema imunológico forte contribui para o tratamento da hepatite em pessoa que têm também o HIV contribui para o tratamento da hepatite.

HIV e HCV: tratamento conjunto é possível
A maioria das pessoas pode fazer o tratamento para o HIV e para hepatite C ao mesmo tempo. Em alguns casos, o médico pode sugerir que se faça o tratamento do HIV primeiro para reforçar o sistema imunológico antes de começar a tratar a hepatite C. Em outros, tratar primeiro o vírus da hepatite C pode ser a melhor alternativa, para que o fígado possa processar melhor os remédios contra o HIV.

Contra-indicação para o uso da ribavirina:
• estágio avançado de doenças renais;
• anemia;
• hemoglobinopatias;
• problemas cardíacos severos;
• gravidez e lactentes. Deve-se evitar a gravidez durante o tratamento e por 6 meses após o seu término;• o não uso de métodos contraceptivos, como a camisinha.

 

> JOÃO, QUE TEM HIV E HEPATITE C, toma o interferon peguilado uma vez por semana (se fosse o interferon convencional, teria de fazê-lo 3 vezes na semana, em dias alternados) no posto de saúde.Ele já tomou a primeira dose diária da ribavirina em casa, junto com um café da manhã reforçado; a segunda, ele vai tomar à noite, junto com o jantar. Ele mantém o tratamento convencional contra a aids. Apesar de se sentir muito sobrecarregado, João sabe que tomar as medicações nos horários certos e corretamente é fundamental para o sucesso do tratamento.

Compartilhe