Saber Viver Profissional de Saúde Adolescência e Aids

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver Edições Especiais » Saber Viver Profissional de Saúde Adolescência e Aids » Saber Viver Profissional de Saúde Adolescência e Aids n.02

03/2008

Participação é direito

Ampliar o acesso de jovens à saúde, promover sua participação nas ações dos serviços e reduzir preconceitos são algumas das metas da Save the Children no Brasil.

Save the Children, Reino Unido, vem estimulando o que denomina de perspectiva de participação como um elemento central para a garantia de Direitos. A partir do pressuposto de que crianças, adolescentes e jovens são membros plenos da sociedade e, portanto, seu envolvimento nas questões que lhes afetam é um direito, Save the Children no Brasil, impulsiona processos participativos em temas fundamentais para suas vidas desde o início das suas ações nesse país, há 16 anos. Desde então, desenvolve processos de consulta, pesquisa, apoio a novas metodologias junto a organizações não-governamentais de atendimento direto, e ações de influenciamento político para que as vozes e opiniões de crianças e jovens sejam levadas em consideração, principalmente na elaboração e concretização de políticas voltadas para seu desenvolvimento.

No que concerne à efetivação dos direitos sexuais e direitos reprodutivos, todos os adolescentes e jovens podem ser considerados vulneráveis. No entanto, existem grupos que sofrem discriminações adicionais decorrentes da pobreza e da exclusão de serviços públicos. Jovens participantes dos programas da Save the Children no Brasil relataram onde existe maior freqüência de violações de seus direitos: na discriminação ao acesso a serviços de qualidade para prevenir o HIV; na discriminação por gênero, raça, orientação sexual ou soropositividade ao HIV; na falta de acesso a informações de qualidade sobre comportamentos de risco e proteção eficaz; através da pressão e dos preconceitos dos adultos, que muitas vezes impedem a vivência de uma sexualidade saudável, positiva e com respeito mútuo. O Programa da Save the Children Reino Unido, através da implementação de modelos de serviços amigáveis para a prevenção e atenção ao HIV/aids, espera aumentar o acesso das e dos adolescentes aos serviços, promovendo seus direitos sexuais e reprodutivos e reduzindo a discriminação enfrentada por estes grupos.

Apoiar esta publicação, em parceria com a Saber Viver, é apoiar a visibilidade de serviços que estão fazendo um grande esforço para implementar um atendimento de qualidade e que procuram desenvolver uma referência de atendimento mais acessível e acolhedora para adolescentes e jovens soropositivos.

Esta edição especial da Saber Viver Profissional de Saúde evidencia, por uma parte, a importância de ampliar a implementação deste tipo de serviço em relação à demanda e, por outra, que os serviços existentes precisam de apoio tanto para a sua adequação segundo as necessidades reais dos jovens, quanto para serem reconhecidos como parte da política pública para o atendimento da saúde do adolescente.
Além desta publicação, o convênio firmado entre a Save the Children e a Saber Viver abrange outros projetos. Em parceria com o Grupo Pela Vidda-Niterói, são realizadas oficinas de teatro e cidadania para jovens que vivem com HIV/aids na sede do Grupo e no Hospital dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro e também oficinas para profissionais de saúde do Estado do Rio de Janeiro que trabalham na área HIV/aids e querem aprimorar seu atendimento a adolescentes.

Guillermo Navas
Coordenador Interino

Nara Menezes
Oficial de Programa
Save the Children Reino Unido
Programa da América do Sul
Escritório do Brasil
www.savethechildren.org.uk
www.savethechildren.org.br

Compartilhe