Conversa Positiva

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver Edições Especiais » Conversa Positiva » Conversa Positiva n.01

05/2002

Saiba mais sobre os anti-retrovirais

O tratamento anti-retroviral conta com 15 medicamentos divididos em três classes: os inibidores de transcriptase reversa análogos de nucleosídeos, os inibidores de transcriptase reversa não análogos de nucleosídeos e os inibidores de protease. Para combater o HIV, é necessário utilizar pelo menos dois medicamentos de classes diferentes. A maioria das pessoas toma três medicamentos anti-retrovirais, alguns tomam quatro. Diversas combinações podem ser feitas. Mas muitos medicamentos não podem ser utilizados juntos. Seu médico vai indicar o que é melhor para você.

Na tabela abaixo você vai encontrar recomendações da melhor maneira de utilizar os anti-retrovirais disponíveis no Brasil, seus efeitos colaterais mais importantes e dicas de como contornar os problemas que surgirem.

INIBIDORES DE TRANSCRIPTASE REVERSA
ANÁLOGOS DE NUCLEOSÍDEOS
ABACAVIR
Este medicamento pode causar uma grave reação alérgica em até 5% das pessoas. Por isso, antes de começar a tomá-lo, converse com seu médico sobre o seguinte procedimento de segurança: se logo após começar a terapia com o Abacavir você sentir dor abdominal e febre, interrompa todos os anti-retrovirais que você está tomando por dois dias. Se a dor e a febre passarem, fica comprovado que elas foram provocadas pelo Abacavir. Nesse caso, você não pode mais tomar este medicamento.
DIDANOSINA
Deve ser diluído em meio copo de água ou mastigado e ingerido em jejum de 1 hora antes e meia hora depois de tomar o medicamento. A Didanosina não deve ser tomada junto com os inibidores de protease, principalmente o Indinavir e o Ritonavir.
Este medicamento pode causar diarréia e náuseas. Para contornar esse problema, experimente tomar outras formulações de Didanosina. Em longo prazo, pode causar problemas no pâncreas, principalmente em pessoas que ingerem bebidas alcoólicas.
ESTAVUDINA
Pode provocar inflamação nos nervos periféricos (chamada neuropatia periférica), que se manifesta como uma dormência nas mãos e nos pés. Uma boa forma de contornar esse problema é através da acupuntura.
LAMIVUDINA
Quase nunca provoca efeito colateral importante.
ZALCITABINA
É um medicamento pouco usado. Pode causar neuropatia periférica e aftas bucais.
ZIDOVUDINA
Seu efeito colateral mais importante é a anemia (redução dos glóbulos vermelhos no sangue), cujos sintomas são palidez, cansaço e tonteiras. Também pode provocar diminuição dos glóbulos brancos do sangue. É imprescindível realizar exames de sangue (hemograma) periodicamente para controle.
ZIDOVUDINA + LAMIVUDINA
Nessa formulação, os componentes de dois medicamentos foram colocados em um só remédio para facilitar sua administração.

 

INIBIDORES DE TRANSCRIPTASE REVERSA NÃO
ANÁLOGOS DE NUCLEOSÍDEOS
DELAVIRDINA
Este é um medicamento muito pouco usado. Apesar de ser menos freqüente, a Delavirdina pode causar a mesma reação alérgica provocada pela Nevirapina (Veja neste box).
EFAVIRENZ
Este medicamento pode provocar sintomas que atrapalham o rendimento diário como alterações de humor e sonolência, principalmente nas primeiras semanas. Por isso ingira-o preferencialmente antes de dormir. Tomá-lo longe dos horários das refeições é uma boa medida para evitar esse efeito colateral.
NEVIRAPINA
Seu maior inconveniente é provocar o aparecimento de pequenas manchas vermelhas na pele (rash). Isso pode ser evitado iniciando-se o medicamento de forma gradual: durante os primeiros 14 dias do tratamento, apenas 1 comprimido por dia; a partir do 15º dia, a posologia normal (1 comprimido de 12 em 12 horas).

 

INIBIDORES DE PROTEASE

A maioria dos inibidores de protease deve ser ingerida junto com algum alimento, pois assim é possível diminuir problemas gastrintestinais como enjôos e diarréia. A ingestão de alimentos também favorece a absorção desses medicamentos pelo organismo. Todos os inibidores de protease têm a tendência de alterar a quantidade de triglicerídeos e de colesterol no sangue. Eles também podem provocar mudanças na distribuição de gordura do corpo – a chamada lipodistrofia. Esses efeitos colaterais podem ser controlados com uma dieta saudável e exercícios.

AMPRENAVIR
A terapia com o Amprenavir exige muitas cápsulas por dia, mas, ao ser associado ao Ritonavir, o número de cápsulas diminui um pouco.
INDINAVIR
É o único inibidor de protease que deve ser ingerido em jejum (2 horas antes e 1 hora depois de tomar o medicamento). Ao ser usado junto com o Ritonavir, o Indinavir dispensa o jejum e reduz a quantidade de cápsulas e o número de tomadas no dia.
Para evitar a formação de cálculo renal e minimizar o ressecamento da boca causados por este remédio, beba, pelo menos, dois litros de água durante o dia.
NELFINAVIR
O Nelfinavir deve obrigatoriamente ser ingerido com alimentos para propiciar sua absorção e melhor tolerância gastrintestinal. Um copo de leite e um sanduíche são suficientes. Os médicos costumam receitar suplemento de cálcio para conter a diarréia provocada por este medicamento.
RITONAVIR
Necessita ser guardado na geladeira, mas não há problema em ficar alguns dias sem refrigeração. Não o deixe fora da geladeira por muitos dias, pois ele pode sofrer alterações químicas. Este medicamento pode provocar dormência ao redor da boca. Hoje, o Ritonavir é quase sempre usado, em pequenas doses, junto com um outro inibidor da protease para potencializar seu efeito.
RITONAVIR + LOPINAVIR
A assossiação com o Ritonavir permite que o Lopinavir atinja níveis elevados no sangue. Por isso este medicamento tem sido usado em pacientes que já apresentaram resistência a outros inibidores da protease.
SAQUINAVIR
Este medicamento deve ser sempre administrado junto com o Ritonavir.

 

Compartilhe