Saber Viver Jovem

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver Edições Especiais » Saber Viver Jovem » Saber Viver Jovem n.02

02/2009

Sem medo da verdade

SEM MEDO DA VERDADE

UM TEM O HIV E O OUTRO NÃO. ELES NAMORAM HÁ TRÊS ANOS.

ELIZANA ARAÚJO MARQUES E WILIAM DA CRUZ NAMORAVAM HÁ MAIS DE DOIS ANOS QUANDO ELE DESCOBRIU SER PORTADOR DO HIV. ATUALMENTE, AOS 20 ANOS, ELE JOGA BASQUETE E PROTEGE ELIZANA, QUE SE MANTÉM SORONEGATIVA. AOS 15 ANOS, ELA JOGA VÔLEI E ESTÁ COM WILIAM PARA O QUE DER E VIER. O CASAL FALOU DO SEU DIA-A-DIA PARA NOSSOS REPÓRTERES JOVENS, A GALERA SABER VIVER.

GALERA SABER VIVER (Bianca pergunta ao casal) Como e quando vocês se conheceram?
Wiliam – Foi numa obra, há três anos. Eu estava trabalhando na casa da irmã dela e rolou uma química. (Risos)

GSV (Bianca pergunta a Wiliam) Como foi contar para a Elizana sobre o HIV?
Wiliam – Pô, primeiro eu estudei bastante ela, eu esperava uma reação completamente diferente da reação que ela teve. Ela falou: “tudo bem, é só se cuidar”.

GSV (Bianca pergunta a Elizana) E você? Antes de ele contar, você já sabia?
Elizana – Não. Soube quando ele me contou.

GSV (Suellen pergunta a Elizana)
 O fato de você saber mudou alguma coisa?
Elizana – Passei a fazer o exame de três em três meses.

GSV (Suellen pergunta a Wiliam) Você acha que ela é especial, Wiliam?
Wiliam – Não sei se é a convivência comigo, mas a Elizana tem uma cabeça muito diferente das meninas da idade dela. Ela falou que estava tudo bem e eu levei um susto. Estava pensando que ela ia terminar o namoro.

GSV (Wallace pergunta a Wiliam) Você se preocupa em não transmitir o vírus para ela?
Wiliam – Bastante. Não quero que ela passe pelo que muita gente está passando. Minha maior preocupação é o remédio, ainda não tomo, mas sei que algum dia posso precisar e não quero isso para ela.
Elizana – Não consigo engolir comprimido. Mesmo que seja um pequeno,
fico entalada. (Risos)

GSV (Suellen comenta) Você não ia conseguir tomar o que eu tomo. Realmente é muito ruim, sei o que é isso há 19 anos.

GSV (Wallace comenta) E eu sei o que é isso há 17 anos! Toda vez que eu tomo remédio, lembro do HIV.
Wiliam – Pois é! Quem não toma remédio não lembra do HIV, eu só me lembro quando vou ao hospital.

GSV (Wallace pergunta a William) Você sabe como pegou?
Wiliam – Não faço a mínima idéia.

GSV (Suellen pergunta a Wiliam) E como você reagiu quando recebeu o resultado do exame?
Wiliam – Na hora que a médica falou, não caiu a ficha. Quando me sentei para esperar minha tia ir me buscar, fiquei lendo o exame de cima abaixo. Então desceu a primeira gota de lágrima e foi uma hora chorando, chorei até ficar com a cara toda amassada.
Não quero que ela passe pelo que muita gente está passando. Minha maior
preocupação é o remédio, ainda não tomo, mas sei que algum dia posso precisar e não quero isso para ela.

GSV (Bianca pergunta a Wiliam) Como foi para se acostumar?
Wiliam – Eu não me acostumo.

GSV (Suellen pregunta Wiliam) Não?
Wiliam – Eu realmente não me acostumo.

GSV (Bianca pergunta a Wiliam) 
Mas você pensa em quê?
Wiliam – Não sei se vou acertar na hora de tomar o remédio. E também me preocupo com o que os outros vão achar.Tipo assim: será que, se eu contar na minha escola, vão continuar me tratando da mesma maneira?

GSV (Suellen comenta) Ah, preconceito é muito ruim. Eu sei como é: já senti na pele.

GSV (Wallace pergunta a Wiliam) Você já ficou doente por causa do HIV?
Wiliam – Eu estava tomando remédio para umas glândulas inflamadas, mas não melhoravam. Fui ao médico e ele falou que era conseqüência do HIV, nem me deixou voltar para casa, fiquei direto no hospital. Eu tinha muita febre.

GSV (Bianca pergunta a Elizana) O que você sentiu, Elizana?
Elizana – Fiquei preocupada. Ia ao hospital de manhã, de tarde e de noite.

GSV (Suellen pergunta ao casal) Vocês pensam em casar e ter filhos?
Wiliam – Pensamos.
Elizana – O melhor da vida é encontrar alguém que faça de um pequeno instante um grande momento.

Compartilhe