Conversa Positiva

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver Edições Especiais » Conversa Positiva » Conversa Positiva n.01

05/2002

Seu tratamento depende de você

Todos nós sabemos o quanto o tratamento contra Aids é complexo. Exames de sangue periódicos, diversas visitas ao médico e remédios, muitos remédios. Seguir os rígidos horários e as restrições alimentares que os anti-retrovirais requerem não é uma tarefa fácil. Por outro lado, qualquer descuido pode comprometer sua saúde.
Pensando em tudo isso, organizamos várias sugestões para ajudar você a conviver melhor com seu tratamento. Confira ainda, em cada página, depoimentos de pessoas que estão buscando se adaptar à vida com o HIV. Na luta contra a Aids, seu grau de envolvimento é muito importante. É ele que vai garantir o sucesso do seu tratamento.

PARTICIPE DO SEU TRATAMENTO

Médico e paciente – Parceiros contra o HIV
Você e seu médico são parceiros na batalha diária contra o HIV. Juntos vão traçar a melhor estratégia para enfrentar o vírus. Por isso, é imprescindível que haja um bom diálogo entre vocês. Assim como os exames laboratorial e físico, sua história de vida também é importante na hora de escolher que tipo de tratamento seguir.

Pense na sua rotina diária
Para escolher os melhores horários para tomar seus medicamentos, pense primeiro na sua rotina diária: a hora em que normalmente acorda, em que dorme, o horário do trabalho, da ginástica, do banho, das refeições. É importante tentar adequar, junto com seu médico, a terapia anti-retroviral ao seu dia a dia. Por exemplo, tome seu medicamento sempre antes ou depois de uma atividade que você faz diariamente no mesmo horário. Assim fica mais fácil lembrar de tomar os remédios.

Às vezes é difícil acertar 
No início do tratamento é provável que uma vez ou outra você realmente se esqueça de tomar algum remédio. Converse com seu médico sobre suas dificuldades e tente pensar em uma estratégia para que isso não mais aconteça. Às vezes são necessários alguns ajustes de horário até que você se acerte com a medicação.

Consultas médicas: compromisso com sua saúde
Mesmo que sua saúde esteja ótima e você esteja tomando os remédios sem problemas, não falte às consultas médicas, que em geral são de três em três meses. Quem vive com o vírus da Aids precisa de acompanhamento médico constante.

Não leve dúvidas para casa
Não deixe de esclarecer todas as suas dúvidas, a cada consulta. Seu médico sabe o quanto a terapia anti-retroviral é complexa e ele está ali para ajudar você a superar todas as dificuldades. Nas unidades de saúde também existem enfermeiros, farmacêuticos, assistentes sociais e psicólogos capacitados a dar assistência a quem é soropositivo. Caso não esteja realmente satisfeito com o atendimento que lhe é prestado, você tem todo o direito de buscar uma outra unidade de saúde.

Mantenha-se bem informado
Entender o está acontecendo dentro do seu corpo vai deixá-lo mais tranqüilo. Pergunte ao seu médico como atua o HIV e que atitudes você pode ter para colaborar com o tratamento. Peça a ele que explique o significado dos seus exames. Leia sobre o assunto. Não fique por fora! Afinal, é sua vida que está em jogo!

Confira o rótulo dos seus medicamentos
Diversos medicamentos contra a Aids, feitos de uma mesma substância, recebem nomes fantasia diferentes. O nome fantasia é dado pelo laboratório que fabrica o medicamento, mas o nome da substância com a qual ele é feito consta obrigatoriamente do rótulo de todos os remédios. Para que não haja confusão, é fundamental que você peça ao seu médico para que escreva o nome da substância do seu medicamento nas receitas médicas. E que, ao buscar seus anti-retrovirais na farmácia, você confira se o nome da substância está correto. Caso haja alguma dúvida, o farmacêutico deve estar capacitado a orientá-lo.

A importância dos exames laboratoriais
O objetivo do tratamento com os anti-retrovirais é tornar a carga viral do HIV indetectável e elevar o número de células CD4 no sangue. Se a carga viral aumenta e o CD4 começa a cair, as defesas do organismo ficam debilitadas. Através dos exames laboratoriais, é possível identificar precocemente o enfraquecimento do sistema imunológico, dando, assim, ao médico a possibilidade de fazer alterações mais simples e mais eficientes na terapia.
Quem toma medicação, tem CD4 acima de 200 e carga viral indetectável deve repetir seus exames de 3 em 3 meses para confirmar que continua tudo bem. Outros casos podem precisar de exames com menor tempo de intervalo.

RESPEITAR OS HORÁRIOS É FUNDAMENTAL

Para que o tratamento contra a Aids dê certo, é fundamental que você respeite os horários e a forma indicada pelo seu médico para tomar a medicação (com alimentos ou em jejum). Caso contrário, o HIV pode se tornar resistente aos medicamentos. Se isso acontecer, será necessário buscar uma nova combinação de anti-retrovirais que funcione. Isso às vezes não é tarefa fácil. Sem contar os novos efeitos colaterais que você terá que enfrentar.

PARA AJUDAR A LEMBRAR

Separe os medicamentos
Você pode separar os medicamentos de que vai precisar em cada dia da semana e colocá-los em frascos menores, como frascos de filmes fotográficos vazios, por exemplo. Assim fica mais fácil garantir que você tomou a quantidade necessária de medicamentos quando chega o fim do dia. Além disso, essa medida facilita o transporte dos medicamentos.

Sempre alerta
Outra boa medida para você nunca esquecer de tomar seus medicamentos é programar o alarme de um relógio ou de um beeper para tocar sempre que você tiver
que tomar algum remédio.

Faça uma tabela
Anote os horários da sua medicação. Coloque-os num local visível. O que parece complicado no início, dentro de alguns dias será simples. Com alguma dedicação, os remédios vão passar a fazer parte da sua vida, assim como escovar os dentes, tomar banho, etc.

O DIA A DIA DO SEU TRATAMENTO

Tomar o remédio em público
Tomar os medicamentos quando se está na companhia de outras pessoas, faz você se sentir constrangido? Colocar os medicamentos que precisam ser tomados fora de casa em um frasco pequeno pode ajudar nesse caso também. Se alguém perguntar o porquê de tantos remédios e você não estiver a fim de falar de Aids nesse momento, diga que são vitaminas. Muitas pessoas tomam várias vitaminas por dia para se sentirem melhores, sabia?

Aproveite seu fim de semana mas proteja sua vida
Depois de uma semana de trabalho, tudo o que a gente quer é relaxar. A mudança de rotina que acontece aos sábados e domingos faz com que muita gente se atrapalhe na hora de tomar a medicação. Caso você vá passar o dia fora, leve seus medicamentos num frasco pequeno. Se quiser dormir até mais tarde, coloque o relógio para despertar, tome o remédio da manhã e volte a dormir. Um pouco de esforço para manter os horários da medicação vale a pena. Com saúde, seus finais de semana serão muito mais felizes.
Atenção durante as viagens: Nessas ocasiões, não se esqueça de levar todos os remédios de que vai precisar e mais algumas doses extras.

Beber com moderação não faz mal algum
Não é necessário deixar sua bebida alcoólica preferida de lado por causa da medicação anti-retroviral. Mas, apesar de o álcool não prejudicar o efeito dos medicamentos, alguns cuidados devem ser tomados. Beber a ponto de esquecer de tomar a medicação é muito grave. Os que sofrem de problemas gastrintestinais, provocados muitas vezes pelos medicamentos, precisam saber que o álcool tende a piorar esse sintoma. Os medicamentos Didanosina e Indinavir necessitam de um período de jejum. Durante esse período, nada de álcool. Tirando esses casos, beber com moderação não faz mal algum.

Use camisinha também para se proteger
A camisinha não serve só para evitar que você transmita o HIV para outras pessoas. Usar preservativo evita também que você seja recontaminado pelo HIV e aumente sua carga viral. Existe ainda o perigo de ser contaminado por um vírus que já tenha sofrido mutações e se tornado resistente a algum medicamento, levando seu organismo a criar resistência a esse remédio também. E nunca se esqueça de que a camisinha previne doenças venéreas que podem ser ainda mais agressivas quando se tem a imunidade baixa.
As mulheres podem e devem tomar a iniciativa de se proteger. A camisinha feminina tem sido cada vez mais usada por mulheres que não querem deixar sua saúde na mão do parceiro.

SEJA AMIGO DE VOCÊ MESMO

Vida saudável
Os cuidados que uma pessoa soropositiva deve ter com sua saúde são os mesmos que todo mundo deve ter. Seguir uma alimentação saudável, fazer exercícios regularmente, de preferência ao ar livre, e beber bastante líquidos são medidas essenciais para a saúde. Cigarro, drogas e álcool em excesso devem ser evitados.

Não se isole
Explique seu esquema terapêutico para alguém em quem você confie. Familiares, parceiros ou amigos podem ajudar você a lembrar da medicação.

Procure grupos de apoio e ONGs
Conversar com pessoas que estão passando por situações parecidas ajuda a superar os obstáculos do tratamento. Participe de grupos de
apoio a pessoas soropositivas em unidades de saúde ou em Organizações Não Governamentais (ONGs). Você verá que não está sozinho! Se você está se sentindo deprimido ou ansioso demais, procure saber se esses locais possuem atendimento psicológico.

Seja otimista
Uma atitude positiva perante a vida ajuda muito a superar as dificuldades do tratamento.

O INESPERADO ACONTECE

Vomitei o remédio
Se você perceber a saída do remédio no vômito, tome-o novamente. Mas, se o vômito aconteceu uma ou duas horas depois da dose, não tem problema, pois, provavelmente, o remédio já foi digerido. Tome a próxima dose no horário normal.

Meu remédio acabou e estou sem a receita médica
Antes que o frasco acabe é melhor ir à sua unidade de saúde buscar novos medicamentos. Caso julgue necessário, peça ao seu médico para dar algumas receitas pré-datadas.

Esqueci de tomar o remédio
Se você se lembrar do remédio antes de completar quatro horas de atraso, tome-o imediatamente e tome a próxima dose no horário certo. Se você só se lembrou depois de passadas mais de quatro horas, tome apenas a próxima dose do remédio, no horário previsto. Mas, atenção: para manter seu sangue com uma dosagem de medicamento capaz de combater o HIV é imprescindível não atrasar as doses. Esse deslize pode acarretar sérios problemas ao seu tratamento.

Não sei se tomei ou não tomei o medicamento
Em primeiro lugar, existem algumas estratégias para você se organizar e evitar que isso aconteça (veja PARA AJUDAR A LEMBRAR, na pág 10).
Mas, caso você fique na dúvida se tomou ou não o medicamento na hora certa, tome-o assim que lembrar. É melhor pecar por excesso que por falta.
Todos os depoimentos foram colhidos durante reunião com pacientes do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho na cidade do Rio de Janeiro, em 21 de março de 2002.

Os nomes são fictícios

Compartilhe