Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.47

12/2010

Sono também é saúde

Problemas com o sono são frequentes em pessoas vivendo com HIV. “A insônia é uma queixa comum, podendo levar ao cansaço crônico, à diminuição da atividade física e social e à pior qualidade de vida”, afirma a infectologista Karina Ribeiro, do Serviço de Assistência Especializada (SAE) Sagrada Família, de Belo Horizonte (MG). Segundo a médica, o sono pode ser prejudicado por fatores psicológicos, como a ansiedade e a depressão, e fisiológicos, como a ocorrência de infecções oportunistas ou de alterações neurológicas relacionadas ao HIV, que podem provocar desde transtornos cognitivos leves até a demência. “Há, ainda, os efeitos colaterais dos medicamentos. O efavirenz aumenta o risco de insônia”, Karina informa.

 

Efavirenz

O efavirenz também pode causar sonolência e pesadelos. Estes efeitos costumam diminuir com o tempo, mas há pessoas muito sensíveis ao medicamento. Renato da Matta toma efavirenz desde 2004 e conta que ainda sente os seus efeitos colaterais. “Tenho insônia e pesadelos, mas continuo a terapia porque os benefícios valem a pena”, considera Renato.

José Luis usava o medicamento e não conseguia ter uma boa noite de sono. Demorou a procurar ajuda, mas conseguiu resolver o problema. “Fiquei com medo de ser taxado de louco”, admite. Mas José procurou o serviço de saúde e infectologista e psiquiatra orientaram a troca do medicamento. Hoje, José dorme bem e vive melhor.

Apoio psicológico pode ajudar

Especialmente entre mulheres soropositivas, problemas com o sono podem estar relacionados a fatores psicológicos, culturais e sociais. A conclusão é de estudo realizado no Centro Corsini, em Campinas, que avaliou a qualidade de vida de mulheres vivendo com HIV e registrou alto índice de insônia entre elas.

A psicóloga Priscila Junqueira, autora da pesquisa, explica que, além da adequação da terapia antirretroviral, o apoio psicológico é muito importante. “O tratamento psicoterápico ajuda a recuperar a saúde do sono e a qualidade de vida. Ao apresentar qualquer mal estar, devemos sempre procurar ajuda profissional”, aconselha a psicóloga.

Pequenos hábitos podem contribuir para a saúde do sono:

• Ter uma rotina com horários regulares, inclusive para dormir;

• Prepara um lugar tranquilo para passar a noite;

• Expor-se à luz solar pela manhã e ao final da tarde, para acertar o relógio biológico;

• Praticar atividade física de quatro a seis horas antes de deitar;

• Evitar cochilos;

• Evitar cafeína, cigarro, álcool e refeições pesadas antes de dormir;

• Tomar menos líquido à noite;

• Se o problema persistir, procure ajuda de um profissional de saúde.

Boa Noite!

Compartilhe