Tá na Hora

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver Edições Especiais » Tá na Hora » Tá na Hora n.01

12/2006

Você e o mundo ao seu redor

Aprendendo a SUPERAR DIFICULDADES e a BUSCAR o que faz VOCÊ FELIZ
Tem um ditado que diz mais ou menos assim: “quando a mente sofre, o corpo adoece”. O contrário também é verdadeiro. A saúde do corpo e a saúde da mente são dois lados de uma mesma moeda. Para que a gente possa ter, realmente, uma saúde integral, é fundamental, além de cuidar do corpo, estar atento às emoções e tentar manter uma boa relação com o mundo à nossa volta.
Cada pessoa tem seu jeito de lidar com as situações que a vida apresenta, mas tudo que você fizer para enfrentar melhor os desafios será válido. Nesta matéria você verá várias estratégias para alcançar o bem-estar. Quem sabe você se identifica com algumas delas?

Aceitação do HIV/aids
Uma das maiores causas de problemas no tratamento é a não aceitação do fato de ter o HIV. A pessoa que não consegue aceitar sua soropositividade pode experimentar sentimentos como revolta ou indiferença, pode ficar presa ao papel de vítima ou de culpada pela situação. Faltar às consultas, aos exames, não tomar os remédios e não cuidar da saúde são reflexos desses sentimentos.
O início da medicação é um desses eventos que coloca a realidade à nossa frente: “você tem o HIV e terá que se tratar para viver”. É normal ter uma reação negativa nesse momento. Cada pessoa tem seu tempo para elaborar, aceitar e reagir aos acontecimentos e isso precisa ser respeitado. Mas é importante saber que seu bem-estar depende de você aprender a lidar com o fato de ser soropositivo, querer se tratar e compreender que os medicamentos são seus aliados.

Expressar emoções faz bem à saúde
Por diferentes motivos, várias pessoas preferem não conversar com seus amigos e familiares sobre o HIV. No entanto, reprimir as emoções não faz bem à saúde. Pode ser uma experiência reconfortante compartilhar seus sentimentos com as pessoas mais próximas. Não que seja fácil. A verdade é que tem gente que simplesmente não saberá o que falar ou fazer para apoiá-lo. Não crie muitas expectativas, mas tente. Você pode se surpreender. Ter alguém para compartilhar esse difícil início de tratamento, seja para ajudar a lembrar o horário do medicamento, acompanhar às consultas ou simplesmente para conversar, fará você se sentir melhor.

Grupos de apoio
Em diversas unidades de saúde e Organizações Não-Governamentais (ONG) existem grupos de pessoas soropositivas que se reúnem, na maioria das vezes junto com profissionais de saúde, para conversar sobre a vida com HIV/aids. Nesses locais você encontrará apoio, informação e poderá fazer novos amigos. Todos ali estão passando ou já passaram por muitas situações que você está enfrentando agora. Além disso, nas ONG, você poderá obter suporte jurídico, conhecer os seus direitos no trabalho, planos de saúde, etc.

Ajuda psicológica

Consultar um psicólogo pode ajudar muito a lidar com a soropositividade. Esse profissional está preparado para auxiliá-lo a ultrapassar momentos difíceis, como o início da terapia anti-retroviral e a revelação do HIV para amigos e familiares. Junto com ele, você irá se fortalecer internamente para aceitar o HIV e tentar buscar formas de lidar melhor com o fato, descobrindo novos sentidos para a vida e buscando alternativas de felicidade. O psicólogo também poderá atuar junto à sua família, orientando, esclarecendo e dando o suporte necessário para que eles também atravessem bem essa fase.

Espiritualidade
A espiritualidade também pode atuar de um modo muito saudável. Freqüentar grupos religiosos, que não estimulem sentimentos de culpa ou castigo, mas onde se possa compartilhar idéias, traz sensações de amparo e bem-estar. Ainda que não seja para conversar sobre o HIV, esses grupos ajudam a manter a disposição para enfrentar as dificuldades do tratamento.

Técnicas de relaxamento
Muitas pessoas praticam técnicas de relaxamento, como meditação, yoga ou massagens. Essas práticas têm eficácia comprovada na redução da ansiedade, do estresse e de emoções negativas como raiva e ressentimento. Busque instrutores que possam ajudá-lo a se iniciar nessas técnicas.

DICAS para quem está tentando se adaptar à NOVA FASE DA VIDA

Busque informações sobre a aids e o tratamento Você vai perceber que aquela antiga imagem de doença que mata está totalmente superada. A aids hoje é uma doença crônica, ou seja, com a qual você viverá por muito tempo, contanto que faça o tratamento.
• FOQUE NAS COISAS QUE FAZEM VOCÊ FELIZ. É um desafio para qualquer um, mas quem vive estressado e infeliz tem mais chance de ficar doente.
• NAS SITUAÇÕES ESTRESSANTES DO DIA-A-DIA, você tem duas opções: enfrentá-las, quando for necessário e valer a pena, ou evitá-las. Não sofra desnecessariamente.
• IDENTIFIQUE SUAS FORTALEZAS. Com certeza você já passou por outras ocasiões em que teve que enfrentar medos, aprender a viver com incertezas e fazer mudanças na rotina de vida. Pense nas qualidades que você utilizou para superar os obstáculos no passado e tente adequá-las ao momento atual.
• NÃO SE AFASTE DAS PESSOAS. Procure fortalecer os laços de amizades que já tem e procure fazer novos amigos. Dividir conquistas e preocupações torna a vida mais leve.
• EXERÇA ALGUMA ATIVIDADE. Estudar ou trabalhar (ainda que não seja remunerado) trazem um sentimento de pertencer à sociedade. Você se sentirá útil e se tornará uma pessoa mais interessante.
• FREQÜENTE EVENTOS CULTURAIS E DE LAZER. Chame os amigos.

 

Compartilhe