Saber Viver Profissional de Saúde Adolescência e Aids

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver Edições Especiais » Saber Viver Profissional de Saúde Adolescência e Aids » Saber Viver Profissional de Saúde Adolescência e Aids n.01

01/2004

Trabalhar com jovens soropositivos: uma experiência enriquecedora

A aids no Brasil já completou 20 anos. As previsões pessimistas que tomavam conta da sociedade no início da epidemia, felizmente, não se concretizaram. Apesar de muitas perdas, hoje temos o que celebrar.

A chegada à adolescência de meninos e meninas que, ao nascer na década de 80 ou início de 90, infectados pelo HIV, tinham pouca ou nenhuma chance de tratamento, sem dúvida, é um bom indício de que a aids está se tornando uma doença crônica. Cada aniversário desses jovens guerreiros foi e será motivo de comemoração para eles e para todas pessoas à sua volta,sejam familiares,funcionários de casas de apoio,voluntários de ONGs ou profissionais de saúde.Todos, sempre, com a emoção à flor da pele e também com a certeza de que terão muitos desafios pela frente.

Foi pensando nesses desafios que a Saber Viver elaborou esta publicação destinada aos profissionais de saúde que, em seu cotidiano profissional, convivem com esses jovens. Nós nos aliamos ao esforço do Programa Nacional de DST/aids em aperfeiçoar o atendimento aos adolescentes vivendo com HIV/aids e promover a integração social deste grupo. Por diversas vezes,este ano,o PNDST/aids reuniu profissionais que já trabalham com jovens vivendo com HIV/aids em eventos realizados pelo Brasil. Na maioria deles,a Saber Viver esteve presente,colhendo dados e entrevistando pessoas.

Ao organizar a presente revista, construída a partir dos temas discutidos durante os encontros, nosso objetivo é tornar acessível aos profissionais de saúde, experiências e reflexões que possam colaborar para o aperfeiçoamento de ações voltadas aos adolescentes vivendo com HIV/aids e tornar a convivência de profissionais e jovens uma experiência enriquecedora para ambos.

Além desta publicação, está sendo lançada, concomitantemente, uma edição especial da Saber Viver destinada ao jovem soropositivo,voltada ao universo desse grupo.

A partir do que aprendemos com estes trabalhos, temos a certeza de que não há regras pré-estabelecidas para o atendimento ideal. Pelo contrário, as especificidades individuais, culturais e sociais de cada jovem devem ser respeitadas e preservadas.

Um grande abraço

Adriana Gomez e Silvia Chalub – Saber Viver Comunicação

Compartilhe