Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.41

10/2007

Um futuro com mais cor

Saber Viver recebe Prêmio de Direitos Humanos

O Grupo Arco-Íris de Conscientização Homossexual realizou, em 12 de outubro, a entrega da sexta edição do Prêmio Arco-Íris de Direitos Humanos. Este ano, a Saber Viver esteve entre os 15 premiados. Para o vice-presidente do Grupo, Márcio Caetano, a revista se destaca na ajuda às pessoas que vivem com HIV e aids: “A Saber Viver circula entre os frequentadores do ArcoÍris; muitos trocam idéias sobre as matérias”, revela. Durante a festa realizada no Museu da República, no Rio de Janeiro, Márcio entregou o troféu a Adriana Gomez e Silvia Chalub que dedicaram a homenagem aos leitores: “Eles confiam na gente e seus depoimentos nos ajudam a mostrar que a vida é bem maior do que a doença”, disse Adriana.

O 6o Prêmio Arco-Íris de Direitos Humanos fez parte da programação da XII
Parada do Orgulho GLBT – Rio 2007, cuja principal bandeira foi a aprovação do projeto de lei que criminaliza a homofobia. O projeto está atualmente tramitando no Senado. A também homenageada Majorie Machi lembrou que a travesti não precisa mais ser uma artista para brilhar: “A travesti agora brilha como faxineira, brilha como advogada; vejo a utopia transformar-se em realidade a cada dia”, declarou. Majorie é presidente da Associação de Travestis e Transexuais do Rio de Janeiro – Astra-Rio.
Também premiado, o fundador do Grupo Gay da Bahia, Luiz Mott, lamentou que há alguns anos suas filhas tenham sido discriminadas na escola onde estudavam pelo fato de ter um pai homossexual. Ele acredita, porém, que a homofobia no Brasil tende a diminuir e se emocionou com os aplausos recebidos durante a festa por Theodora, a primeira criança brasileira a ser adotada por um casal homossexual.
Pelo menos no que depende da educação de Theodora, ao Brasil está reservado um futuro mais colorido. Seus pais adotivos, outros homenageados pelo Prêmio Arco-Íris, tinham motivo de sobra para se orgulhar. Vasco Pedro da Gama Filho e Dorival Pereira de Carvalho Júnior contaram que, enquanto assistia à cerimônia de premiação, a menina perguntou-lhes o significado de três palavras: homofobia, utopia e fé. SV

Compartilhe