Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.48

12/2011

Uma vida mais tranquila

Cada vez mais pessoas, vivendo com HIV ou não, es tão buscando um maior equilíbrio em suas vidas. Muitas têm encontrado na meditação uma forma de se livrar das tensões do dia-a-dia. A pós-doutoranda do Departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo e professora da Universidade Nove de Julho, Elisa Kozasa, afirma que os benefícios trazidos pela prática são muitos, como a diminuição da ansiedade e do estresse. Para quem deseja começar, Elisa dá a dica: “Sentar-se com a coluna ereta, os ombros relaxados, respirar profundamente por algumas vezes e, em seguida, observar sua própria respiração e fazer ciclos de contagens de um a 10 ou de um a 21”. Permaneça na prática pelo menos 10 minutos. Yoga Uma atividade que utiliza técnicas de meditação é o Yoga. Existem diversas práticas de Yoga, mas de uma forma geral todas buscam autoconhecimento, equilíbrio e harmonia. O instrutor de Yoga Marcello Milani, que já teve alunos com diferentes problemas de saúde, explica que a atividade respeita as limitações do praticante. “A prática do domínio da respiração, do movimento e da meditação pode ser adaptada para todos. É só escolher o tipo de prática respeitando o seu corpo, personalidade, momento da vida, referências dos locais e profissionais envolvidos”, afirma. Vale lem- brar que o acompanhamento de um profissional qualificado e de um médico são indispensáveis. Fabrício*, que se descobriu soropositivo em 2009, diz que o Yoga trouxe grandes conquistas para sua saúde. “Os resultados são rápidos. Com a prática, aumentei meu tônus muscular e, com a meditação, consegui reduzir minha ansiedade”, conta ele.

PRATICANDO: No Grupo Vhiver, em Belo Horizonte, as terças e quintas- feiras são destinadas ao Yoga. Durante as aulas, os alunos aprendem a respirar plenamente, relaxar, concentrar, trabalhar músculos, articulações e órgãos internos. O professor Alexandre de Abreu lembra que a maioria dos estudos tem relacionado a influência positiva das atividades físicas sobre o sistema imunológico. “Os portadores do HIV sentem-se melhores fisicamente e, com o resultado, ocorre uma melhora da autoestima, bem como da percepção do próprio corpo”, diz. Heliana Moura, representante do Movimento Nacional de Cidadãs Positivas/MG e secretária do fórum ONG/Aids – MG, participa das aulas há cinco anos. “O Yoga me proporcionou uma melhor resistência física, flexibilidade, força interior e o tão esperado equilíbrio”, comemora.
Compartilhe