Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.20

02/2003

Viver com HIV pode gerar mudanças positivas

Estudo mostra que viver situações difíceis pode gerar avanços positivos na vida das pessoas

Contrair o HIV pode ser uma experiência devastadora na vida de muitas pessoas. Entretanto, um estudo da Universidade da Califórnia (UCLA) mostra que alguns soropositivos acreditam que a infecção pelo HIV e o risco de vida geraram mudanças positivas em suas vidas.

A pesquisa entrevistou 189 mulheres soropositivas das mais variadas classes sociais em Los Angeles (EUA). Elas disseram que, apesar dos sentimentos negativos relacionados à morte, descobrir-se soropositiva lhes serviu como um estímulo para viver uma vida mais saudável, dando prioridade a emoções positivas e questões pessoais. Segundo a pesquisa, apesar de a Aids ser um risco para suas vidas e causar graves problemas sociais e financeiros, as entrevistadas afirmaram que se sentem mais fortes, mais sábias e mais concentradas nos questões que, segundo elas, mais lhes interessam: suas famílias, seus filhos e suas comunidades.

Relações amorosas e saúde são os pontos negativos
O estudo aponta que 75% das mulheres sentem que se conhecem melhor agora. Além disso, 53% disseram que a infecção pelo HIV mudou para melhor as suas prioridades de vida. “Essas mulheres, algumas das quais convivem há anos com o HIV, acharam que suas perspectivas de vida mudaram. Muitas questões que antes pareciam fundamentais deixaram de ser, dando lugar a outros aspectos que se tornaram mais importantes”, diz o autor principal do estudo, John Updegraff.

Nas entrevistas também foram abordados os aspectos negativos de contrair o HIV: 80% das mulheres disseram que o vírus da Aids trouxe um impacto negativo nas relações amorosas e na saúde. “A infecção pelo HIV gera uma demanda ainda maior para grande parte dessas mulheres que convive com a pobreza, tendo uma moradia inadequada e sem oportunidades boas de emprego”, analisa a pesquisadora Shelley Taylor, que também participou do estudo. Porém, no geral, o número de benefícios relatados ultrapassou o de pontos negativos.
Para Shelley, esse estudo mostra como as pessoas podem tirar proveito de situações difíceis em suas vidas. “Por décadas, pesquisadores achavam que experiências difíceis conduziam as pessoas a problemas mentais e psicológicos. Agora, investigando outros aspectos da vida de certos indivíduos, aprendemos que as pessoas têm uma notável capacidade de transformar situações difíceis em avanços positivos para suas vidas”. SV

Este texto foi baseado nos dados da UCLA Aids Institute.
O estudo está publicado na recente edição do Journal Personality
and Social Psychology Bulletin.

Compartilhe