Publicações

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Envie para um amigo:





Saber Viver » Saber Viver n.36

06/2006

Você está com suas vacinas em dia?

Nesta época do ano, em algumas regiões do país, a temperatura cai e o número de problemas respiratórios, aumenta. Ou seja, é uma boa época para conversar com o seu médico sobre a possibilidade de tomar uma dose da vacina antigripal. Apesar de o calendário oficial para essa vacinação iniciar-se em maio, o infectologista Juan Carlos Verdeal afirma que essa vacina está disponível em qualquer época do ano, por causa do clima no Brasil. “Os soropositivos devem tomá-la uma vez ao ano”, recomenda o chefe do Setor de Infectologia do Hospital Copa D´or, no Rio de Janeiro.

Mais cinco vacinas são recomendadas
Já que o assunto é vacina, não custa lembrar de outras cinco imunizações importantes para pessoas vivendo com HIV/aids: contra a pneumonia, o tétano, a febre amarela, a hepatite A e a hepatite B. O infectologista Juan Carlos Verdeal faz um alerta a todos os soro positivos não-infectados pelo vírus da hepatite B: “Como os fatores de risco para a aquisição do HIV e do vírus da hepatite B são semelhantes, o risco de co-infecção existe e, por isso, essas pessoas precisam tomar a vacina”, diz. A vacina contra a hepatite B está disponível na rede pública de saúde para todas as pessoas infectadas pelo HIV, independente da faixa etária. SV

 

Quando as vacinas são indicadas

Vacina antipneumocócica
• Alguns especialistas sugerem aguardar a resposta ao tratamento anti-retroviral com aumento do CD4+.

• A revacinação deve ser sugerida a cada cinco anos.

• Os efeitos colaterais são mínimos e transitórios (eventual desconforto no lo cal da injeção, ocasionalmente febre baixa e dor de cabeça).

Vacina antigripal
• Todas as pessoas vivendo com HIV/aids, independente da idade e do estado imunológico (exceto aqueles com alguma infecção oportunista), devem ser vacinados anualmente.

Vacinas para Hepatite A e B
• Todos os pacientes soropositivos que não tiveram infecção pelo vírus das hepatites A ou B devem receber as três doses (no caso, para prevenir a hepatite B) ou as duas doses (para prevenir a hepatite A).

• As vacinas são produzidas por re combinação genética. Portanto, são absoluta m e n te seguras mesmo em pacientes com imunodepressão.

• Podem causar desconforto local e, ocasionalmente, febre baixa.

• Podem ser administradas separadamente ou na formulação combinada.

Vacina antitetânica
• Todas as pessoas, soropositivas ou não para o HIV, devem vacinar-se com as três doses da antitetânica, fazendo uma dose de reforço a cada dez anos.

Vacina contra febre amarela
• A princípio, é contra – indicada. Mas a questão é controversa. A vacina foi aplicada em pessoas com relativa preservação do estado imunológico (CD4 acima de 200) sem pro b lemas e com eficácia. Nesses casos, deve-se pesar o real risco de exposição (por exemplo, uma viagem para área endêmica de febre amarela co m grande risco de exposição prolongada ao mosquito transmissor).

 

 

Compartilhe